26/01/09

Ilegal, mas e daí?

3 comentários:

Anônimo disse...

PERSEGUIÇÕES É A MARCA DO NOSSO GOVERNO DO PT.

O jornalista Paulo Henrique Amorim pediu à Polícia Federal que investigue suposta perseguição contra ele e sua família "por indivíduos a mando" do banqueiro Daniel Dantas e do governador José Serra (PSDB). Disse que dará detalhes à PF.O Ministério da Justiça se colocou à disposição de Amorim. O banco disse que não foi notificado. A assessoria de Serra não o localizou".

joao disse...

VIROU MODA!

"Falta vergonha na cara dos médicos", declaração do prefeito sobre ausência dos profissionais no Lourenço Jorge e secretário de saúde
Dohmann afirmou que, “temos problemas crônicos dos últimos anos. Herdamos essa situação da antiga administração".

Anônimo disse...

CARTA ( inglês e português ) ENVIADA por alguns membros da comunidade “FORA LULA” para

ambasciatore.brasilia@esteri.it - EMBAIXADOR DA ITÁLIA NO BRASIL

web@lastampa.it - JORNAL ITALIANO LA STAMPA

redazione.web@governo.it - WEB DE NOTÍCIAS DO GOVERNO DA ITÁLIA

"Brasill, 26 de Janeiro de 2009.

Ao digníssimo Sr. Giorgio Napolitano

- A/C dos redatores do jornal La Stampa e do webnews Notizie dal Governo Italiano.

Ao excelentíssimo Senhor Doutor Embaixador da Itália no Brasil , Michele Valensise,



Foi com indignação que nós - brasileiros - tomamos conhecimento da decisão do Ministro da Justiça- Sr.Tarso Genro, e com a devida e pública concordância do Presidente da Republica do Brasil, Sr. Luiz Inácio Lula da Silva que, contrários ao parecer do nosso Procurador Geral da República Dr. Antonio Fernando de Souza e da Comissão Nacional para Refugiados (CONARE) órgão consultivo do Ministério da Justiça - que negaram pedido de asilo ao terrorista Cesare Battisti - decidiram "autoritariamente" dar guarida ao mesmo, concedendo-lhe status de "refugiado político" mesmo tendo sido acusado pela Justiça italiana de cometer vários crimes, entre os quais frios assassinatos.

Nós, brasileiros, não concordamos com o terrorismo como forma de ação política de combate ao poder estabelecido mediante o emprego da violência, sobretudo na vigência de regimes democráticos, como é o caso de seu país, a Itália, onde o terror não faz sentido algum, a não ser o de acolher atos insanos de pessoas sem compromisso com a legalidade e a democracia.

Assim, queremos deixar claro que a postura do governo brasileiro NÃO reflete o temperamento ordeiro e pacífico da grande maioria do povo brasileiro, que por sua vocação sempre procura soluções pacíficas para a resolução de conflitos, principalmente com paises amigos, como é o caso da Itália e que através dos meios de comunicação , como V.Excia. pode ler, manifestou-se contra a decisão de nosso governo.
Repudiamos pois a presença deste terrorista em nosso território e acreditamos que a decisão unilateral do governo brasileiro, desrespeitando a soberania da Itália e deixando de levar em conta a excelente relação diplomática existente entre os dois países até então, só irá estimular a vinda de outros terroristas de todo o mundo com seus crimes acobertados desde que sejam considerados afinados com os ideais da esquerda petista.

Se assim não for, outros serão banidos de nosso território, "como inimigos e extraditados", como já aconteceu com os dois esportistas cubanos que não eram terroristas , mas cidadãos pacíficos, que por ordem deste mesmo Ministro da Justiça, foram covardemente deportados de volta para Cuba - uma ditadura - apenas por desejarem uma vida de liberdade, e cujo único crime, foi o de abandonarem a delegação cubana por ocasião dos Jogos Panamericanos ano passado em nosso país, não importando as consequências deste gesto para os jovens.

Pelos motivos acima expostos, então declaramos nosso repúdio ao comportamento da mais alta autoridade brasileira, a saber, o Presidente Lula da Silva e de seu Ministro da Justiça, Tarso Genro, sabendo que o julgamento do terrorista Cesare Battisti foi acompanhado pela Corte Européia de Direitos Humanos e decorreu em total observância aos direitos humanos do réu.

Aguardamos dessa forma que o ato , únicamente de critério ideológico, do Ministro Tarso seja anulado, como disse nesse 25/01 o Senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) , quando há a possibilidade de o Senado editar um decreto legislativo anulando a portaria em que o ministro Tarso Genro (Justiça) concede "refúgio político" ao terrorista italiano Cesare Battisti.
E até mesmo que, tendo o Ministro Tarso Genro confundido ASILO com REFÚGIO POLÍTICO, pode o Supremo Tribunal Federal decretar a extradição do terrorista Cesare Battisti para a Itália, pois segundo um ex-ministro do STF, Genro poderia ter concedido “asilo”, jamais “refúgio político”, como o fez.

Asilo e refúgio são institutos jurídicos diferentes, na legislação brasileira.

Sem mais, subscrevemo-nos

Atenciosamente