10/01/2008

ELES ACREDITARAM!



ACREDITE VOCÊ TAMBÉM.
FAÇA A SUA PARTE.
AFINAL, COMO DIZEM, "TODA A PM CALÇA 40".
ENGRAXE SEU COTURNO.

4 comentários:

pmutopia disse...

Por que aqui é diferente???

Anônimo disse...

Militar Legal:
PROFESSORA DÁ AULA
DE SEGURANÇA PÚBLICA
NO MILITAR LEGAL


Senhor Ten Melquisedec "MILITAR LEGAL", Srs Leitores, Quanto ganha um Professor no final da carreira? Quanto ganha um Policial no final da carreira? Quanto ganha um Médico no final da carreira? Quanto ganha um Juíz no final da carreira? Quanto ganha um Promotor no Final da carreira? Todos são importantes porque tanta diferença entre os salários dos funcionários da saúde/educação e os do chamado "mundo jurídico"???



VEJA A REAÇÃO QUE OCORRE EM UM PAÍS CIVILIZADO: A Chanceler Alemã Angela Merkel está preocupada conforme matéria do jornal O GLOBO deste fim de semana com um fenômeno chamado Brasilização, que seria nada mais que: INJUSTIÇA SOCIAL... O fato é que alguns funcionários do Deutsch Bank passaram a perceber um salário considerado alto segundo os padrões alemães e distante do que percebe um operário alemão, tal fato gerou incomodo e foi alvo de debates...



O problema do RIO DE JANEIRO só será resolvido como todos sabem com uma administração que entre outras coisas tenha uma política séria de primeiro emprego, sáude e educação(categorias relegadas a miséria salarial). Políticas públicas que acabam com a geração de criminosos(criminogênese). Eu pergunto aos que ainda tiverem dúvidas: 1- O atendimento na rede pública de saúde do Estado é bom? 2- O salário do médico é bom? 3- A Escola da rede pública é boa? 4- O salário do professor da rede pública de ensino é bom? 5- A política de primeiro emprego do governo estadual é boa?


Acho que todos agora concordam que o problema da Segurança Pública do Rio vai além de se aumentar efetivo policial, poderia começar com a valorização dos funcionários da saúde e da educação, como já ocorre com o das ditas carreira jurídicas que bem remunerados não conseguiram melhorar a situção, talvez estejamos precisando mais de professores, pedagogos, médicos, enfermeiros, para educar os jovens e tratar os feridos desta guerra. Escrito por Clara M.; Silva - Professora da Rede Estadual (Rio de Janeiro).

Anônimo disse...

Frases soltas, fora de um contexto, que em nada contribuem, dirão alguns intelectualóides.
Mas para nós, policiais civis e militares que as ouvimos todos os dias e muitas delas às duas, três, quatro horas da manhã, fica claro que nossa missão não se resume em combater a criminalidade apenas.
Disponibilizar nossas vidas para defender a sua é só uma delas.
Somos nós quem atendemos essa população que como nós, tem problemas que precisam ser resolvidos.
Ainda bem que na Academia de Polícia recebemos (?) orientação para mediar conflitos, aconselhar, " julgar", intermediar, ouvir, calar, consentir, negar, agir como psicólogo, padre, defensor, promotor, juiz, policial, amigo, confidente...
E manter a calma.
E não errar.
E representar bem o estado, que insiste em responder a nossas reinvindicações com as duas primeiras:


" Ser policial é um sacerdócio."
" Quem entra pra polícia já vai sabendo que o salário é baixo."

" Quem mandou não estudar? " ( Ué, afilhados de certos políticos ganham muito mais do que nós e a eles só é exigido serem fiéis. )
" Vem cá, na sua família só você não tem juízo?" ( Por ser policial.)
" Moço, me ajuda, acabei de ser assaltada. Ele tá armado!" ( Em situações assim que o policial, no ímpeto de defender o fraco, morre. )
" Ué, e vocês estão aqui pra quê? " ( Exigindo que resolvamos o problema de qualquer jeito ).
" Eu pago o teu salário! " ( E paga mal. )
" Só agora vocês chegam? Agora não precisa mais! " ( Reclamando quando a PM chega ao local de ocorrência. Sequer reparam na viatura, caindo aos pedaços. )
" Meu carro tá dentro da favela. O que vocês vão fazer? " ( Sem sequer perguntar se estamos usando a carapaça de aço e invisível que ganhamos quando somos admitidos. )
" O cara que roubou me celular tá pedindo dinheiro para devolver. O sr. vai lá pra mim? " ( Vá, invada, mate, morra, mas traga meu aparelho de volta. )
" Pérae, só vocês dois? Eles são quatro e estão todos armados! " ( Espantados quando apenas dois policiais militares " superentusiasmados " se põem a perseguir os assaltantes. )
" Meu marido me bateu e me expulsou de casa. "
" Meu filho está desaparecido há cinco dias."
" O cara me roubou 3 mil reais. Se você chegar a ele te dou cinco para matá-lo."
" Quero ver quem vai resolver meu problema! " ( Aqui dá vontade de responder que nós perguntamos isso há anos. )
" Deixa eu ficar aqui essa noite. É que meus pais me expulsaram de casa." ( Na DP, duas da manhã.)
" Que demora! " ( Todos têm pressa. Nós também. )
" Meu vizinho jogou guimba de cigarro no meu quintal."
" O cachorro dele fez cocô na minha calçada. "
" Quero fazer um Registro pra não pagar segunda via de documentos. Ah, põe aí que eu fui roubado."
" Meu pai me bateu."
" Minha mãe me bateu."
" Meu irmão me bateu."
" Minha irmã me bateu."
" Acho que mataram meu gato." ( Dito na DP por uma senhora, conduzida por policiais militares, a uma da manhã. Eles não têm nada pra fazer mesmo.)
" Alô!!! quero fazer uma denúncia. O elevador do prédio enguiçou! " ( E lá vai a PM " desenguiçar " elevador.)
" Seu policial, não consigo dormir com esse barulho que vem da casa ao lado! " ( A PM vai ao local manda abaixar o som. A PM sai do local e o som é aumentado...)
" Depois querem aumento. Não fazem nada! " ( Risos.)
" Moço, no mês passado, o cunhado da vizinha disse que o irmão dele falou que se o vizinho do meu primo olhasse para ele..." ( Como resolver?)
" A gente tava num churrasco aí de repente sumiu um pedaço de carne. Ae já viu. Estancou a porradaria geral. " ( É quando a PM lota um ônibus com quinze envolvidos, que depois de três dias, já sóbrios, voltam à DP para tirar a queixa.)
" Vem cá, ficam só vocês aqui dentro a noite toda? " ( Espanto de alguns ao perceberem o efetivo nas DPs.)
" Atenção todas as viaturas. Troca de tiros entre policiais e diversos elementos fortemente armados. Queiram se deslocar para o local em apoio e com a devida cautela. " ( É rezar e ir.)
" Alerta a todos. Policiais encurralados. Há notícia de feridos. " ( Ídem.)
" É mesmo? Só? Meu encarregado ganha mais do que isso." ( A encarregados é exigido que grau de instrução? )

É. De fato somos muito bem pagos diante do nada que representamos.

http://policiaqueprecisamos.blogspot.com/

Anônimo disse...

Repassando


"INDIGNAÇÃO POLICIAL"



Um grupo de policiais honestos e comprometidos em servir bem toda a sociedade, vem a público "Denunciar" um dos maiores escândalos e injustiças que vem sendo cometidas na Instituição Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro.
A população precisa e necessita de bons serviços por parte do Serviço Público e, com seus impostos, paga bem por isso. A Polícia tem por obrigação investigar crimes, proteger e garantir o bem estar comum e a ordem estabelecida. Como poderá haver respeito e, principalmente, confiança por parte da população sem estes princípios básicos? Hoje, os Órgãos de Segurança são vistos com desconfiança e desdenho; estão desacreditados. Uma criança ao ver um policial, seja civil ou militar, o vê com receio; é o retrato passado pelo mesmo por parte da Instituição mal administrada.
O número de policiais em serviço é abaixo do necessário, equipamentos aquém do ideal, salários vergonhosos para quem diariamente se expõem a morte, sem falar no precário treinamento. Por tudo isso e também não aceitarmos fazer parte desses desmandos, por ser um verdadeiro desrespeito para nossa Instituição, e que resolvemos denunciar.
Há um enorme número de "Falsos Policiais", andando armados, dirigindo carros policiais e fazendo-se passar por tais, acobertados não se sabe por quem (Geralmente Delegados de Polícia). Prestam serviços nas Unidades Policiais, tomando lugar de servidores concursados ou concursando, que deveriam assumir esses lugares. Pois estes lugares são ocupados por pessoas despreparadas, desqualificadas e, muitas vezes, ignorantes com o público, por pouca educação secular. Resultando tudo isso em um precário serviço prestado a comunidade, crimes insolúveis por falta de investigação adequada, erros grosseiros comedido diariamente e, em muitos casos, vidas são perdidas. Seria o mesmo que colocar um advogado para proceder em uma cirurgia cardíaca. Cujo resultado, obviamente, seria morte do paciente.
Não é isso que queremos para nossa Polícia. Pois em quase todas as repartições policiais encontramos servidores cedidos de outros órgãos, isto é, o nome chulo atribuído a esses e "X-9¨. A quem interessa a manutenção dessa situação? A quem interessa esses resultados que com toda certeza são negativos? Como que um bom policial assiste a tudo isso sem nada poder fazer? Até porque se sente desprestigiado diante a administração e sofre represarias severas por parte das autoridades? Qual o seu estimulo ao trabalho?
Até que ponto as Prefeituras Municipais vão interferir na administração Estadual com a inclusão de seus tentáculos na Polícia.
A população não sabe, más, ao ser abordado, qualquer pessoa tem o direito de exigir a sua identificação policial e, em caso de dúvida, dirigir-se à Delegacia Policial mais próxima.
Nossa Indignação. Além de procedente, vem consubstanciada por dados que poderão ser facilmente averiguados.
Passaremos a V. Sªs., após algumas investigações na Região dos Lagos, os nomes de diversos deles, posto atual que ocupam na Policia sem qualquer preparação técnica, bem como suas matrículas no município. Também, anexamos documentos que compravam suas atuações diretas como policiais, em que praticam crime de Usurpação de Cargo ou Função Pública, Falsidade Ideológica. Uma vez que não são policiais nem de fato nem de direito.
Senão Vejamos:
1- Gisele, oriunda da Prefeitura de Rio Bonito, mat. 008323-8, lotada no IML-Araruama, com total acesso a Laudos Periciais.
2- Odair Vicente, oriundo da Prefeitura de Rio Bonito, matricula 112-4, lotado na 2ª CRPI – Araruama, motorista de viaturas oficiais caracterizadas e usa camisa com a insígnia por não possuir a Carteira de Polícia.
3- BIANCA ALVES SOARES, oriunda da Prefeitura de Rio Bonito, matricula 827-4, lotada na 2ª CRPI – Araruama, exercendo a função de Secretária de confiança do Delegado.
4- DENISE NOGUEIRA, oriunda da Prefeitura de Araruama, matrícula 615-7, lotada na 2ª CRPI, exercendo a função, não oficialmente, de chefe da administração.
5- WALTER, oriundo da UERJ, matricula 70987, lotado no IML da 2ª CRPI – Araruama, motorista de viaturas oficiais e anda armado e usa camisa com a insígnia por não possuir a Carteira de Polícia.
6-ROSANE ALVES, lotada no IML da 2ª CRPI de aruruama.
7-RICARDO, Guarda Municipal de Saquarema, lotado na Perícia da 2ª CRPI, usa arma e dirige viaturas oficiais caracterizadas.
8- RICARDO FÉLIX, da Secretaria Estadual de Saúde, matrícula 504435-9, exercendo funções policiais na Perícia Criminal da 2ª CRPI-Araruama, dirige viaturas oficiais caracterizadas.
9- AGNELO CAMPOS, do Legislativo de Saquarema, matricula 20-5, dirige viaturas oficiais caracterizadas.
10- JESSI, oriunda da Prefeitura de Araruama, matricula 296-8, exercendo funções policiais na Perícia Criminal da 2ª CRPI-Araruama, dirige viaturas oficiais caracterizadas.
E vejam vocês, o Setor de Perícia Técnica (ICCE), assim como o Instituto Médico Legal (IML), são órgão de crucial importância às investigações policiais. E nesses Órgãos estão pessoas desqualificadas, "agentes não preparados", que usando camisas com a insígnia da Polícia Civil, utilizando viaturas caracterizadas e muitas vezes portando armas de fogo, desempenham importantes papeis que nunca deveriam prestar, até mesmo, por falta de total preparo para a função.
A Perícia, um setor dos mais importantes na investigação criminal, agentes não preparados, na posse das viaturas oficiais padronizadas e, muitas vezes portando arma de fogo, comparecem em locais de crimes, onde nunca deveriam estar, e desempenham papeis policiais.
São Eles já acima descritos: JESSI, JOSÉ RICARDO, RICARDO FELIX, AGNELO CAMPOS.
Além desses nomes citados, que trabalham na CRPI, Perícia Técnica, IML, temos ainda outros falso policiais espalhados pelas delegacias do Rio de Janeiro. Na 118ª DP-Araruama temos funcionários cedidos de Prefeitura que lavram a Termo as Declarações das partes envolvidas em Inquéritos Policiais. Na 126ª DP-Cabo Frio, encontramos a mesma situação, vários servidores cedidos (emprestados) da Prefeitura de Cabo Frio, que prestam serviços policiais, como lavratura de Registros de Ocorrências, Aditamentos, Extravio de Documentos. Lavram a Termo as Declarações de pessoas envolvidas em Inquéritos e sob investigação. Cumprem Mandados de Prisão. Operam ostensivamente nas ruas da cidade utilizando viaturas oficiais padronizadas e vestindo camisa com a insígnia oficial da Polícia Civil e, evidentemente, portando armas de fogo, tanto as próprias como as de propriedade da Instituição.
Em Cão Frio, são os seguintes falsos Policiais:
1- Paulo Reis, da Prefeitura de Cabo Frio, anda constantemente armado e é perigoso.
2- Mauro Gomes, da Prefeitura de Cabo Frio, tira plantão na Permanência atendendo ao público.
3- Israel de Jesus, da Prefeitura de Cabo Frio, chefia Carceragem da Delegacia, sendo responsável pela apresentação dos presos, bem como suas remoções para outras cadeias.
4- Beth Sodré, da Prefeita de Cabo Frio.
5- Rosangela, da Prefeitura de Cabo Frio.
6- Isaias, da Prefeitura de Arraial do Cabo.
7- Ana Paula, da Prefeitura de Arraial do Cabo, Secretária do Delegado.
8- Jaide Floriano, da Prefeitura de Cabo Frio, motorista da viatura oficial caracterizada do Setor de Homicídio e Entorpecentes.
9- Guilherme, da Prefeitura de Cabo Frio sendo motorista de viaturas oficiais.
10- Adriana Maia, da Prefeitura de Cabo Frio, secretaria do Chefe de Cartório.
11- Vanessa Sodré, da Prefeitura de Cabo Frio, atendendo as parte no S. de Administração.
12- Lúcia Graça, da Prefeitura de Cabo Frio, atendendo as parte no S. de Administração.
13- Liege, da Prefeitura de Cabo Frio, atendendo na Delegacia de Mulher, onde toma Depoimentos das partes envolvidas.
14- Eraldo Santos, da Prefeitura de Cabo Frio sendo motorista de viaturas oficiais.
15- Ondina, da Prefeitura de Cabo Frio.
16- Paulo César, codinome "BUIU", da Prefeitura de Arraial do Cabo.
17- Alexandre, da Prefeitura de Arraial do Cabo sendo motorista de viaturas oficiais, inclusive as levando para casa deixando os Policiais sem veículo, além de portar fuzis de propriedade da PCERJ e armas convencionais.
18- Conceição, da Prefeitura de São Gonçalo, sendo secretária do Delegado.
19- Carlos, da Prefeitura de São Gonçalo, sendo motorista do Delegado e porta arma de fogo, é perigoso.
20- Morena, da Prefeitura de Niteroi, sendo secretária do Delegado


Também no Setor de Perícia da 126ª DP-Cabo Frio existem vários servidores cedidos dês Prefeituras usurpando Cargos Policiais, são eles:
1- "Bolinha", dirige viaturas oficiais caracterizadas para o Setor de Perícia, usando a camisa com a insígnia da PCERJ, para justificar o porte de arma.
2- José Renato, dirige viaturas oficiais caracterizadas para o Setor de Perícia, usando a camisa com a insígnia da PCERJ, para justificar o porte de arma.
3- "Biju", dirige viaturas oficiais caracterizadas para o Setor de Perícia, usando a camisa com a insígnia da PCERJ, para justificar o porte de arma.
4- "Saquarema", dirige viaturas oficiais caracterizadas para o Setor de Perícia, usando a camisa com a insígnia da PCERJ, para justificar o porte de arma.
5- Janete, atende as partes e distribui laudos, trabalhando interna.

Por tudo isso, "DELATAMOS, solicitando as autoridades medidas urgentes para coibir e acabar com essas práticas criminosas dentro da Respeitável Instituição denominada Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, a fim de garantirmos maior confiança dos policiais e da população, que paga seus impostos e são enganadas por parte autoridades descompromissadas com as Leis Vigentes e com a população do nosso Estado.
Mediante isto tudo, vemos que o policial civil está sendo desrespeitado e desprestigiado pelas autoridades policiais, que impingem tal situação à Classe Policial sob ameaças de transferências e outras retaliações. Pois, nós policiais certamente sabemos cumprir nossas funções de maneira honesta e com esmero, não precisando desses "quebra galhos de Delegados". O que redundará numa instituição bem vista pela população, que merece respeito.
Isso também é um pedido de socorro a defesa dos policiais civis, quer seja ao Governador do Estado, ao Secretário de Segurança Pública ou mesmo o Chefe de Polícia Civil, pois nos sentimos acuados e sofrendo por ver a população do Estado do Rio de Janeiro tão enganada pelos seus dirigentes e a instituição cada vez mais enfraquecida diante o público.

Futuramente, encaminharemos provas documentais do que acima expomos, tais como Registros de Ocorrências preenchidos por não policiais, fotografias dessas pessoas, e o que conseguirmos mais para provar que o acima exposto não é uma farsa.