16/03/07

O alvo da chibata. "Como será o amanhã? Como vai ser o meu destino?"

"Ao despertar, faço minha higiene e ligo a tv no canal 04, com o intuito de saber as notícias do nosso rio de janeiro, mas como é muito cedo, aproveitei para entrar na internet e baixar o BOL PM. Após ler o boletim, cliquei na pagina virtual do jornal O Dia e a primeira noticia que vejo como uma das manchetes é:

14/3/2007

Acredite se puder

'Mais um policial é morto no Rio, desta vez na Pavuna Rio - O terceiro-sargento Hélio Ricardo Porto Valentino, do 9º BPM (Rocha Miranda), lotado na Policlínica de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, foi morto na noite desta terça-feira, ao reagir a assalto, na Rua Mercúrio, na Pavuna. O policial voltava para casa, em seu Siena grafite. Os assassinos estavam em um carro escuro, de marca e placas não identificadas. Com ele, sobe para nove o número de policiais mortos em menos de uma semana. À tarde, foi sepultado o corpo do capitão Paulo César Silva dos Santos Lima, do 18º BPM (Jacarepaguá), morto durante tentativa de assalto em Anchieta na noite de segunda-feira.Como no velho-oeste, o Clube de Cabos de Soldados da Polícia Militar está espalhando cartazes pela cidade, oferecendo recompensa de R$ 2 mil por informação segura que leve à prisão de assassinos de policiais militares. Ontem à noite, mais um PM foi morto em ataque de bandidos na Pavuna, Baixada Fluminense. Os cartazes foram afixados em ônibus de várias linhas que circulam na cidade. A iniciativa do Clube tem apoio do Comando-Geral da Polícia Militar, mas não é novidade. Ano passado, a associação de policiais oferecia R$ 1 mil pelo mesmo tipo de informação. O presidente do Clube, Jorge Lobão, deixou o telefone 8181-7304 à disposição da população."Muito triste fiquei após saber disso, preferi desligar a televisão e computador, levantar a cabeça e ir para o meu trabalho... '

...Fiquei de serviço 24hs e quando volto para o meu lar, por volta das 09:00hs do dia seguinte , entro na internet e vejo mais um caso de violência contra irmãos policiais militares:

15/3/2007

Morre um dos PMs que foi baleado por bandidos de Vigário Geral

'Rio - Morreu na manhã desta quinta-feira o 11º policial militar, em apenas uma semana. Elson de Souza Rente, 30 anos, foi atingido por mais de dez tiros após confronto com bandidos na Favela de Vigário Geral, na Zona Norte. A patrulha em que ele estava junto com o cabo Leandro Ipanema Vilaverde Souza de Carvalho foi atacada por traficantes, na Rua General Correia e Castro. Os dois, que são lotados no 16º BPM (Olaria), foram baleados. Há informações de que um dos bandidos também tenha ficado ferido.' Patrulha enguiçada 'Uma outra patrulha que estava próxima ouviu os tiros e foi para o local. Os PMs foram colocados no banco traseiro para serem socorridos no Hospital Getúlio Vargas, na Penha, Zona Norte. Só que o carro enguiçou no caminho, na Avenida Brasil, pista sentido Centro, altura da Cidade Alta.Os policiais então pararam dois carros particulares e pediram ajuda. Elson foi levado para o Hospital Geral de Bonsucesso, onde já chegou morto com ferimentos principalmente na cabeça. Leandro foi encaminhado para o Getúlio Vargas. Ele teria levado cinco tiros, mas não corre risco de morte.' Onze detidos em operação na favela 'No momento em que os PMs foram baleados, cerca de cem policiais civis da Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos (Drae), Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA) e Delegacia de Homicídios da Baixada, com apoio de soldados do 16º BPM (Olaria), faziam operação na Favela de Vigário Geral. Um homem apontado como um dos chefes da venda de drogas no local e outras dez pessoas foram detidas.'

Versões diferentes

'Paralelamente à operação, os dois policiais baleados foram atender a uma ocorrência na Avenida General Correia e Castro, entre Vigário Geral e Jardim América. Existem duas versões sobre o chamado. A primeira é que eles foram auxiliar um oficial de Justiça. A segunda trata-se de uma tentativa de assalto na empresa de ônibus Breda. A partir daí, mais duas vertentes. Uma que eles deram de frente com um grupo de bandidos que havia fugido de Vigário Geral por causa da operação das especializadas. A outra é que eles foram atacados pelos assaltantes da empresa de ônibus, que ainda estavam na área.A polícia já está investigado o caso.' Segunda morte em menos de 24 horas 'A décima morte ocorreu na noite desta quarta-feira. O sargento PM Jorge Ulisses Fernandes, 44 anos, lotado no 5º BPM (Praça da Harmonia), foi assassinado a tiros por bandidos, na esquina da Rua Irapuá com Tapevi, na Penha Circular, subúrbio do Rio. O policial estava fora de serviço no seu carro, um Fiat Palio, quando foi abordado por ladrões, que ocupavam um veículo escuro, de placa não anotada. O PM reagiu e trocou tiros com os assaltantes, mas acabou atingido por vários disparos na cabeça, tórax e abdômen. O sargento foi socorrido e levado para o Hospital Getúlio Vargas, mas não resistiu.'

E agora, será que nos tornamos a caça?

Será que o bandido nessa novela da vida real irá vencer o mocinho?

O que farão nossas autoridades para conter essa onda de crimes contra o patrimônio mais valioso do estado: a 'vida' do servidor público.

Não sei mais o que dizer, não sei mais o que escrever, não agüento mais tanta violência contra os trabalhadores e ninguém se mexe para apertar essa 'corda frouxa' que é a legislação penal brasileira.

Como será o meu amanhã?

Será que poderei voltar vivo depois de levar minhas crianças ao colégio, minha esposa no trabalho e quando regressar ao meu quartel para mais uma jornada de trabalho?

Essa é uma pergunta que deixo para outros responderem, pois eu não tenho resposta para essa não......

Fraterno abraço, avante guerreiros

Quem é sabe!!!

'...em cada soldado tombado, mais um sol que nasce no céu do Brasil. aqui nós todos aprendemos a viver...' trecho da Canção do Policial Militar".

Disponível em http://www.oalvodachibata.blogspot.com/

Diante de tudo, qual será a postura da Polícia Civil ("INVESTIGATIVA")?

Intensificará suas rondas ostensivas (CORE, Op Visibilidade, etc), ou E L U C I D A R Á os homicídios?

Afinal, ela acaba de receber reforço de mais policiais militares para "engrossar sua fileiras"!

A propósito, saibam que a AUTONOMIA DA POLÍCIA TÉCNICA é um dos caminhos para a REDUÇÃO DA IMPUNIDADE.

Só depende de VONTADE POLÍTICA!

11 comentários:

EDSON ALVES disse...

ESTAMOS DE LUTO, MAS NÃO TEMOS PRAZO PARA VOLTAR À NORMALIDADE...

TODOS NÓS ESTAMOS APREENSIVOS COM A SITUAÇÃO ATUAL, MAS NÃO PODEMOS NOS RENDER AO INIMIGO, MESMO SABENDO QUE MUITOS GOVERNANTES "JOGAM NO TIME DELES".

A FORÇA DO VOTO NESSAS HORAS FALA MAIS FORTE QUE A DOR DAS FAMILIAS DIZIMADAS PELO FOGO CRUZADO DA IMPUNIDADE INSTAURADA NO ESTADO...

DESCULPE-ME PELO SADISMO, MAS SE AO INVÉZ DE POLICIAIS, FOSSEM "JORNALISTAS" EXECUTADOS DIUTURNAMENTE, TALVEZ A ONDA DE VIOLÊNCIA TERIA UMA RESPOSTA DO ESTADO MAIS EFICAZ.

UM TRISTE ABRAÇO, PORÉM ESPERANÇOSO...

QUEM É SABE!!!

James Kroff disse...

grato pelo esforço, mesmo sabendo que somos apenas um grão de areia no deserto, mas a nossa luta tem que continuar...

meu fraterno abraço e o meu muito obrigado...

quem é sabe!!!

Anônimo disse...

Desculpem a sinceridade, mas se tivessem matado um alto funcionário da Rede Globo acredito que os bandidos seriam mortos ou presos muito rapidamente, mas como quem tem morrido são PM, ninguém será capturado tão cedo. Infelizmente, nem essa demonstraçao de eficiência nós temos direito. Essa é a PM de hoje, amanhã e sempre. Lamentável!
Ass: Papa defunto

Anônimo disse...

Sr. Maj Wanderby.

Pude perceber sua transferência para o GCG. Local de onde emana todas as decisões internas. Qual será o seu papel? Lutar para que haja substancial melhora EM TODOS OS SENTIDOS, ou ser apenas 'agua-de-salsicha'?
Por favor não cobre apenas o uso da cobertura pelo PM... Mas cobre a "cobertura" que nem o Estado e nem a Corporação dá ao PM...

Samango.

PMERJ 200 Anos disse...

Caro Major Wanderby

Percebemos que nos incluiu nos seus links. Agradecemos o prestigio. So nao precisava chamar-nos de "generico"! Ja incluiremos o seu blog nos nossos links.

Editor
pmerj200anos

Wanderby (wanderby@oi.com.br) disse...

Caro editor PMERJ 200 anos.
O Sr tem razão.
Troquei o "genérico" por "oficial".
Bem vindo ao front dos blogs.

Caro Samango
Pretendo continuar labutando em prol da cobertura (em todos os sentidos, inclusive, "na cabeça").

Anônimo disse...

Na cabeça o sr. já o faz, e faz bem. Aprendeu bem, até porque levou três anos estudando pra isso.. Quanto a outra, rs....

Samango.

Anônimo disse...

comentarios retirados do site globo.com (g1noticias)na integra.

O comandante-geral da Polícia Militar do Rio de Janeiro, coronel Ubiratan Ângelo, negou que haja uma onda de violência contra PMs no Rio. O coronel disse ainda que há "indícios não confirmados" de que o sargento Jorge Ulisses Vieitas Fernandes, do 5º BPM (Saúde), assassinado, quando estava à paisana, na Penha, no subúrbio do Rio, na noite desta quarta-feira (14), estaria ligado a milícias.
Na reunião para discutir as mortes dos 12 policiais militares desde o dia 8, o comandante da PM anunciou medidas a serem adotadas para combater os crimes, mas negou que haja conexão entre cada ato. "Nosso sistema de inteligência não detectou qualquer relação com uma suposta onda de ataques contra PMs", informou o coronel. O evento aconteceu na Academia de Polícia Militar Dom João VI, em Sulacap, Zona Oeste do Rio.
Sobre o soldade Jorge Ulisses, a suspeita é reforçada porque o crime aconteceu próximo a favela Kelson's, na Vila da Penha, no subúrbio, que é dominada por milícias.
Comandantes de batalhões da PM da Região Metropolitana do Rio. O comentário foi feito depois da reunião de emergência entre os comandantes dos batalhões da Polícia Militar da Região Metropolitana do Rio de Janeiro na Academia Dom João VI da Polícia Militar, em Sulacap, Zona Oeste do Rio.

Entre as medidas adotadas estão: refletir sobre o planejamento das operações policiais; reforço na supervisão e controle dos policiais; e criação de grupos de estudo para analisar as vítimas das ocorrências policiais.

O grupo de estudos vai contar com policiais do curso superior da Polícia Militar, curso de aperfeiçoamento de oficiais e do curso de formação de sargentos. Os trabalhos se iniciarão nas próximas duas semanas, analisando mortes de policiais militares e civis nas ocorrências policiais. "Temos que saber o que aconteceu, e o que podemos fazer para que nosso patrimônio (PMs) não seja perdido", explicou o comandante.

Enterro
O comandante que enterrou o próprio soldado já está conformado com a rotina. “Vou explicar para a tropa que morrer faz parte da vida”, lamentou ao sair da cerimônia, o Coronel José Luís Nepomuceno, comandante do 16º BPM (Olaria).

Cerca de 200 pessoas foram ao enterro do soldado, que teve honras militares, com a presença da banda da Polícia Militar. Parentes e policiais de diversas unidades estavam abalados com a morte de Élson Rentes, que deixa esposa e um filho de 11 anos de idade. Ele estava há um mês no 16º BPM (Olaria), transferido do Grupamento Especial Tático-Móvel (Getam).

O soldado Luciano Siqueira da Companhia Independente de Cães da Polícia Militar resumiu os sentimentos dos colegas de trabalho. “A gente fica preocupado, quando sai da unidade. Nunca sabe quem está em frente aguardando a saída”, disse o soldado.

Denúncias sobre mortes de PMs
De acordo com a assessoria de imprensa do Disque-Denúncia, já foram passadas 357 informações ao serviço sobre assassinatos de policiais militares desde o início do ano. Só desde a última quinta-feira (8), já foram feitas 102 denúncias sobre PMs assassinados.

O Clube de Cabos e Soldados da Polícia Militar iniciou uma campanha, há uma semana, para pagar uma recompensa de R$ 2 mil a quem fornecer informações que levem a prisão dos assassinos. Até o início da manhã desta sexta, o presidente da associação, Tenente Reformado Jorge Lobão, disse que já tinham sido feitas 26 denúncias ao clube.

Será realizada uma missa, na próxima terça-feira (20), na Igreja da Candelária, no Centro do Rio, em homenagem aos policiais militares mortos.

Para o Cmt do 16º BPM, a morte de PPMM já e rotina?

Morrer faz parte da vida, sim com certeza, mas a morte de velhice ou alguma doença. Fuzilado não!!!!

Anônimo disse...

PORQUE TANTA BALELA?


O coronel disse ainda que há "indícios não confirmados" de que o sargento Jorge Ulisses Vieitas Fernandes, do 5º BPM (Saúde), assassinado, quando estava à paisana, na Penha, no subúrbio do Rio, na noite desta quarta-feira (14), estaria ligado a milícias.

SERÁ QUE POR ESTAR ENVOLVIDO EM MILICIA O PM PODE MORRER, QUE COMANDANE GERAL ACHA RAZOAEL ESSA MORTE?

"Nosso sistema de inteligência não detectou qualquer relação com uma suposta onda de ataques contra PMs", informou o coronel.

O NOSSO SISTEMA DE INTELIGENCIA FUNCIONA?

Sobre o soldade Jorge Ulisses, a suspeita é reforçada porque o crime aconteceu próximo a favela Kelson's, na Vila da Penha, no subúrbio, que é dominada por milícias.

CUIDADOS PPMM, NÃO SEJAM FUZILADOS PROXIMO A ÁREA DE ATUAÇÃO DE ALGUMA MILÍCIA! POIS CORRERÁ O RISCO DE SER ACUSADO DE PARTICIPAR DA MESMA.

Entre as medidas adotadas estão: refletir sobre o planejamento das operações policiais; reforço na supervisão e controle dos policiais; e criação de grupos de estudo para analisar as vítimas das ocorrências policiais.

SERÁ QUE NUNCA HOUVE REFLEXÃO DAS OPERAÇÕES? O QUE SERÁ REFORÇAR A SUPERVISÃO? O QUE SERÁ CONTROLAR OS PPMM? SERÁ QUE AS COMISSÕES DE ESTUDO VÃO EFETUAR INCURSÕES JUNTO COM A TROPA?

"Temos que saber o que aconteceu, e o que podemos fazer para que nosso patrimônio (PMs) não seja perdido", explicou o comandante.

SE O PM E REALMENTE PATRIMONIO DA PMERJ. POR QUE ENTÃO NÃO VALORIZAR ESSE PATRIMONIO? ESTRANHO UMA CORPORAÇÃO VILIPENDIAR O SEU PRÓPRIO PATRIMONIO.

Enterro
O comandante que enterrou o próprio soldado já está conformado com a rotina. “Vou explicar para a tropa que morrer faz parte da vida”, lamentou ao sair da cerimônia, o Coronel José Luís Nepomuceno, comandante do 16º BPM (Olaria).

TRISTE E INFELIZ DECLARAÇÃO DESSE COMANDANTE. ESQUECERAM DE AVISAR A ELE QUE O "PM É O PATRIMONIO DA PMERJ".
MAS, SERÁ QUE PARA ELE É NORMAL O PM MORRER? JÁ É ROTINA? FAZ PARTE DA VIDA?

AONDE ESTAMOS? QUE PMERJ E ESSA?


PORQUE TANTA BALELA?

ASS: UM PM QUE JÁ NÃO TEM QUALQUER ESTIMULO PARA TRABALHAR, E PIOR, CANSADO DE TANTA BALELA.

Anônimo disse...

Pior do que BALELA é a omissão que vemos com que nossos Comandantes, politicos e até a sociadeda em geral, fazem ao saber de mais uma infeliz morte de um policial militar. Intrigante é saber que nada é feito, não há o minimo de interesse por parte do alto comando da coporação na solução dessas mortes, porque mesmo se houvesse, não teria a quem cobrar. Por que cobrar a investigação feita pela Policia Civil seria ridiculo, porque eles são incapazes de desvendar o menor e mais inocente dos crimes. As estatísticas dizem isto. É uma verdade. Caros colegas, vamos cobrar mais nossos direitos, vamos modificar o que tem de modificar. Não podemos ficar parados.

Amiga indignada... e com muita saudade ... disse...

Politicamente estou por fora do q esta acontecendo ,mas posso dizer da dor q os familiares e amigos sentiram e sentem ,hj depois de 7 meses e 4 dias sinto uma falta muito grande do meu amigo o soldado Elson de Souza Rente.Ele era muito engraçado ,companheiro ,dedicado a familia e aos amigos ,quando estava tirando serviço principalmente a noite quando muita das vezes estava cansado e menos atarefado me ligava pra contar piadas e historias de batalhão e ficavamos a noite toda batendo papo para poder mantelo acordado ,na atividade quantas vezes me contava q estava de plantão embaixo do viaduto próximo ao Nova América com uma viatura q precisava pedir ajuda para poder empurrar ela q não ligava de jeito nenhum ,arma muitas vezes quando ele chegava no batalhão não tinha p/ ele quando naum era arma era colete.
Agora eu pegunto : o governo esta preocupado com os PM's ?? A PMRJ esta preocupada com os PM's ??