31/03/2007

Moralidade e publicidade. Uma proposta simples.

.
Simples mesmo!
Como usuário dos serviços prestados pela Polícia Militar, folgaria em ter conhecimento periódico acerca dos bens e valores possuídos por seus gestores.
Por que não buscarmos o estabelecimento de tal publicidade (em Bol Ostensivo e na rede, através, por exemplo, do blog Corporativo), desde, é claro, que voluntária, como REQUISITO para ASSUNÇÃO e MANTENÇA de cargos de Comando, Chefia e Direção de Organizações Policiais Militares?
Por que não começarmos JÁ?
Creio que a correição da Corporação ficaria grata com tal medida, já que teria insumos periódicos ao desencadeamento de atuação PROATIVA, tendo em conta, dentre outras possibilidades, as seguintes verificações:
1. Regularidade entre os bens e valores declarados e o padrão de vida ostentado;
2. Eventual relação entre medidas adotadas - OU NÃO ADOTADAS - nas áreas de policiamento comandadas e acréscimo de bens;
3. Origens de bens e valores em princípio incompatíveis com os PARCOS padrões remuneratórios vigentes;
4. Bens e valores alusivos a militares que não aceitem sua publicidade e, em conseqüência, não possam ser alçados/mantidos nos cargos em questão, com o fito de, sendo o caso, encetar a verificação dos quesitos supra.
Transparência e publicidade não podem fazer mal a quem não é CORRUPTO.
A quem não recebe dinheiro do jogo do bicho, da "máfia" das vans, do tráfico de drogas e sei lá mais de onde.
A quem não desvia recursos públicos a bem da satisfação de interesses privados, como, por exemplo, empresas de segurança privada.
Afinal, como dizem os antigos: "quem não deve, não teme".
Creio que a medida poderia mesmo ser implementada através de Portaria.
É simples mesmo! É só estabelecer a regra; quem concorda, fica, quem discorda, sai (e todas as declarações - feitas e não feitas - seriam objeto de investigação, ainda que sigilosa - como aquela de que fui alvo por postar minhas idéias).
O que acham da idéia?
Quem sabe não poderia ser aplicada também no âmbito da Polícia Civil?
Do DEGASE?
Do CBMERJ?
Do DESIPE?
Do DETRAN?
Etc.

3 comentários:

PMERJ 200 Anos disse...

O nosso Blog está aberto para qualquer comandante que quiser pronunciar-se sobre seus bens e direitos.

Anônimo disse...

E a declaraçao de imposto de renda,nao é um instrumento adequado? O que falta é a corregedoria que nao corrige,corrigir.

Anônimo disse...

Ora! Não é preciso espor a vida pessoal do corrupto ou não corruoto para tal. Basta usar a lei vigente que autoriza aos orgãos competentes a quebra do sigilo fiscal de pessoas físicas suspeitas de enriquecimento ilícito. Basta o Comando denunciar quem, por exemplo, com salário de cerca R$ 8.000,00 que mora de frente pro mar na Barra da Tijuca e tem veículos que custam no minimo R$ 80.000,00.
Quem é sabe!!!!