11/03/2008

ABSOLUTA FALTA DE RESPEITO

No dia de ontem, os militares que estão de férias no corrente mês, dentre os quais, o que escreve estas linhas, foram surpreendidos com o crédito do valor de 1/3 de férias juntamente com os parcos salários (o que, não vivêssemos em "regime de exceção", seria absolutamente natural).
Alguns certamente aproveitaram a "surpresa" para assumir compromissos ou, o que é mais provável diante da realidade salarial indigna imposta, pagar dívidas.
Todavia, por maior que seja o absurdo, o extrato bancário de hoje - DIFERENTEMENTE DO DE ONTEM - ostentava inédito débito do mesmo valor (1/3 de férias) algumas linhas antes do crédito do mesmo valor.
O banco Itaú informou que a questão respeita exclusivamente à fonte pagadora.
Em sendo correta a informação, ou a administração Sérgio Cabral descobriu a máquina do tempo ou estamos provavelmente lidando com verdadeiros canalhas.

11 comentários:

Anônimo disse...

Tentar se justificar alegando que não tem verba para aumento.... ainda vá lá.... mesmo sabendo ser esta a metira mais absurda possivel, pois se temos dinheiro em caixa para pagar salario astronomicos na ALERJ, bolsas e auxilios fantasmas, dentre outras coisas, porque não um simplório aumento para quem esta a mais de cinco anos sem nada....
Mas chegar ao ponto de creditar salarios e depois retirá-los... Não tem palavra que expresse isso...
Deixo no ar uma pergunta...
O Banco Itaú tem autonomia para debitar valores de nossa CONTA SALARIO sem nossa expressa autorização???
O Estado pode a seu bel prazer fazer saques na CONTA SALARIO de seu funcionalismo???
Cabe ação judicial indenizatória contra o Banco Itau, o Estado ou ambos???

VERGONHA !!!!!!!!!!!!!!!!!

analista da conjuntura disse...

Maj Wanderby: certamente o governo(?) NÃO DESCOBRIU A MÁQUINA DO TEMPO, o que deixa tão somente a 2ª alternativa para qualificá-los.

analista da conjuntura

Anônimo disse...

Indignação e revolta....

Os Policiais Militares que estão de férias no mês de março tiveram uma surpresa em seu pagamento no dia 10...

Quem foi logo pela manhã nos caixas eletrônicos, ficou feliz, pois junto com o seu salario estava depositado o valor referente ao 1/3 de férias...

Oba.... falaram eles.... o Governo pagou as férias em dia...

Estamos melhorando....

Mas após o início do expediente bancário, uma nova surpresa.... o valor das férias havia simplesmente desaparecido da conta....

Cabe além da revolta algumas perguntas...

O Banco Itaú pode retirar valores de nossas contas sem a nossa autorização expressa???

O Governo do Estado então pode???

Pois os valores já estavam creditados...

Alguém explica???

Porque nem os Tesoureiros/conferentes das Unidades e nem os Gerentes do Banco Itaú conseguiram explicar tamanha trapaça...

Caberia uma ação contra o Banco Itaú por retirar valores de nossas CONTAS SALARIO sem a nossa autorização???

Caberia uma ação contra o Governo do Estado por fazer saques nas CONTAS SALARIOS de seu funcionalismo???

Até vá lá que aleguem que não tem dinheiro para nos dar aumento, mas assaltar nossas contas???

VERGONHA !!!!

VERGONHA DE SER FUNCIONARIO PUBLICO !!!!

Quando será que tal valor retornará a nossas contas???

Virá corrigido???

E os companheiros que conseguiram sacar o valor antes de ser roubado... se a conta ficou negativa, quem vai pagar os juros???

VERGONHA !!!!

Anônimo disse...

A resposta é NÃO para as duas perguntas.

Cabe ação judicial indenizatória contra o Banco Itaú, pois o dono da conta salário é cliente do Banco Itaú!

Anônimo disse...

Alguém sabe onde se esconde o Pinóquio sergio cabral? Nunca mais foi visto só quando se escondeu atrás do Lula e levou uma bronca do mesmo.

Anônimo disse...

30.Jan.2008 | MANIFESTO DA FENEME SOBRE EPISÓDIO DA TROCA DE COMANDO DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

MANIFESTO DA FENEME SOBRE EPISÓDIO DA TROCA DE COMANDO DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO



O dia 29 de janeiro de 2008 ficará, com certeza, marcado na história brasileira pela hipocrisia oficial.

O Secretário de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, utilizando-se da “grande mídia” declarou: “O Comandante-Geral da Polícia Militar está exonerado e também serão exonerados todos os policiais militares que participaram (dias antes) de manifestação por melhores salários”.

Será que realmente pensa o referido secretário (ou quem lhe determinou que o fizesse) que com tal decisão tudo se resolverá ?

Sabemos e defendemos fortemente o respeito a hierarquia e a disciplina militar, no entanto, uma crise como esta não se resolve assim.

Parece desconhecer, o secretário, ou quem lhe determinou assim proceder, os princípios constitucionais reinantes no Brasil no que concerne aos Militares dos Estados, pois quem nomeia e exonera o Comandante-Geral é o Governador do Estado e não o secretário, e mais, é exonerado da função, porém, continua Oficial da Polícia Militar com o posto de Coronel, o qual não se pode ser retirado, em nenhuma hipótese, sumariamente.

Equivoca-se profundamente o secretário quando fala em exonerar os demais policiais militares que participaram da dita passeata, pois, todos possuem o direito da “ampla defesa” e do “contraditório”, direito estendido a qualquer “bandido” os quais diuturnamente os policiais militares se arriscam perseguindo. Até parece que os militares são “cidadãos pela metade”, não é assim, deve haver o devido processo legal.

Um fator relevante a ser levado em conta no episódio (e pouco considerado) é que a Polícia Militar do Rio de Janeiro, figura no rol daquelas instituições militares estaduais com os piores salários pagos a toda a tropa.

Aproveitamos para fazer um desafio ao digno secretário, que é Delegado da Polícia Federal, com um muito bom e merecido salário, para que venha a desempenhar a função de Comandante-Geral ou qualquer outra de Oficial da Instituição, com as responsabilidades que são inerentes e riscos do cotidiano, recebendo mensalmente um terço ou até um sexto de seu salário, e, ainda assim, estar motivado sem questionar ou reivindicar.

Não é possível ter uma tropa em condições de atuar quando um soldado (que é a grande maioria) percebe mensalmente parcos pouco mais de mil reais (brutos) numa cidade como a do Rio de Janeiro. Nesta situação só lhe resta reivindicar melhoria salarial, procurar emprego paralelo prejudicando a atividade policial militar ou, o que é pior, inaceitável e injustificável, se corromper.

Quisera que os Policiais Militares, aí não só do Estado do Rio de Janeiro mas de todo o Brasil, tivessem os salários percebidos pelos policiais federais (que os merecem), aí sim teríamos uma Polícia Militar muito melhor com seus integrantes imensamente motivados, o que não ocorre atualmente, pois o desespero acaba batendo à porta desses profissionais que não vêem outra saída senão ordeiramente manifestarem-se publicamente.

A tropa responde conforme a importância que lhe é dada, e nos parece que isto ainda está faltando especialmente no Estado do Rio de Janeiro.

Nos parece haver por parte de algumas autoridades uma certa hipocrisia e amadorismo em lidar com esta delicada questão. O que os militares do Estado do Rio de Janeiro desejam unicamente é tratamento adequado, a começar por um salário digno.

Como preservar a ordem pública, missão constitucional das Polícias Militares, arriscando a vida se nas suas vidas não há ordem nem dignidade por falta de condições mínimas de prover suas necessidades ?

Esperamos que as autoridades constituídas do Estado do Rio de Janeiro resolvam a situação, não se limitando a troca sumária de Comandantes, mas sim, dando dignidade aos seus militares e que estes não percam de vista os princípios da hierarquia e disciplina militares, mesmo nas manifestações públicas.

Somente com dignidade os militares desempenharão bem seu mister, garantindo, em conseqüência, a ordem pública no seio de toda a sociedade.

É fácil as autoridades proferirem palavras de ordem e bradarem discursos eloqüentes, o difícil, nos parece, é o encaminhamento de soluções, porém, todos não nos esqueçamos que novas eleições estão “batendo à porta” e nós, militares, também votamos.

Rogamos, ao final, que haja uma solução negociada para a crise estabelecida, evitando-se, inclusive, um indesejável “efeito dominó” em outras unidades da federação.





MARLON JORGE TEZA

Coronel PMSC

Presidente da FENEME

Anônimo disse...

A SOLUÇÃO É ASSIM QUE DEPOSITAREM O SALÁRIO, SACAR TUDO. OS MAIS ANTIGOS JÁ PASSARAM POR ISSO TEMPOS ATRÁS.

Anônimo disse...

NAO SEI MAIS QUE ESPERAR DO NOSSO GOVERNO OU DESGOVERNO!!!!!
SO JESUS PRA NOS SALVAR!!!!!

Anônimo disse...

DUVIDAS?? SE O BANCO DEPOSITOU FOI POR QUE O GOVERNO AUTORIZOU!! SERA??
SE O BANCO TIROU QUEM AUTORIZOU?? O GOVERNO??
O BANCO IA DEPOSITAR SEM O GOVERNO AUTORIZAR?? ACHO DIFICIL, OU O GOVERNO PRECISOU DE DINHEIRO PRA OUTRA COISA?? TO FICANDO CONFUSO, MAJOR NOS AJUDE!!!
PODEMOS MOVER AÇOES COM OS DOIS??
PRECISAMOS DE ADVOGADOS PRA ISSO??

Anônimo disse...

Ao companheiro que posto o texto acima, gostaria de informar (e a todo sos outros) que tal fato é sim passível de ingresso no judiciário, tanto em face ao estado do rio de janeiro quanto ao banco itau...
Procure um advogado de sua confiança e entre sim com o processo....
Temos que dar um basta nos desmandos....
Agora até em nossa conta salario eles querem mexer....

Tive hoje contato com a gerente de minha conta do Itaú, que efetuou várias ligações para tentar me dar uma resposta no minimo convincente por terem retirado de minha conta um valor que já estava depositado, sem a minha expressa autorização....

Não conseguiu.....

Justiça neles !!!!

Documentos necessários:
- Identidade
- Extrato bancário do período que foi feito o depósito e que foi estornado
- Cópia do bol que comprova as ferias no mes de março
- Comprovante de residencia

arnaldo disse...

Ilustre Major Wanderby!
Tenho acompanhado todo o seu trabalho acerca do termo circunstanciado, bem como de suas acirradas discussoes com os "anonimos" sobre diversos assuntos de suma relevancia para a PM. Tenho muita admiracao pelo seu trabalho e carater, impar na Corporacao. Gostaria, caso possa me ajudar, a desenvolver um trabalho (tese) sobre o seguinte tema: O Controle Judicial dos Atos Administrativos Disciplinares com enfoque constitucional. Certo de sua colaboracao, sou-lhe grato.
PS: Por nao conseguir seu email, me utilizei do seu blog, se o Sr. me permite o uso deste espaco para tal fim.
Arnaldo - Subtenente PM - QOA/2008

arno.gustavo@gmail.com