03/04/2007

De novo ou de novo?



O que observamos de novo até agora na pasta da Segurança (Pública)?

_A alteração da sigla (SSP para SESEG), com a supreção da qualificação "pública".
_A relocação de policiais militares do policiamento ostensivo de trânsito para... Para onde mesmo?
_O recrudescimento do envio de policiais militares para os mais diversos órgãos (MP, Polícia Civil, Gab. do Vice Governador, DETRAN, DESIPE, ALERJ, Tribunais, etc, etc, etc). Mas até para a Polícia Civil?
_O estabelecimento de Res. regulando a autorização, oriunda também de delegados, para a realização de eventos públicos, atribuição típica de polícia administrativa de preservação da ordem pública.
_As grandes operações OSTENSIVAS feitas pela Polícia INVESTIGATIVA.
_As grandes operações ostensivas "conjuntas".
_A revista (busca pessoal) em mochilas de CRIANÇAS da REDE PÚBLICA.
_As demais ações ostensivas da Polícia INVESTIGATIVA.
_As balas perdidas (nunca achadas - INVESTIGAÇÃO ZERO).
_As mortes de policiais, de civis, DE CRIANÇAS, de marginais, o "socorro", a morte de policiais... As mortes... NÃO ELUCIDADAS.
_As ações pirotécnicas do ISP e a omissão de dados alusivos à ELUCIDAÇÃO de DELITOS. Qual foi a real serventia do ISP no des(governo) garotinho?
_A omissão também quanto ao destino dado aos Registros lavrados. Quantos geraram IP?
_A frota da PM sucateada.
_A frota da Polícia Investigativa cada vez mais ostensiva.
_A dotação de helicóptero para a polícia (INVESTIGATIVA). Mas como investigar de helicóptero?
_A manutenção da Polícia Técnica sob a dominação da Polícia Civil.
_A utilização da Polícia Ostensiva como "garoto de recados" da Polícia Civil e não como mediadora de conflitos, na melhor acepção da polícia comunitária.
_Algumas trocas de seis por meia dúzia (ou talvez cinco).
_A continuidade do discurso pouco inteligente da guerra contra crime.
_Os parcos salários da polícia (exceto delegados).
_A discrepância entre os menos parcos salários da Polícia Civil e os parcos salários da Polícia Militar.
Etc.

Diabos (desculpem), mas o que poderia ser feito afinal?

Romper com antigos e arcaicos padrões talvez fosse um bom começo, já que a simples sinalização REAL de mudanças OBJETIVAS poderia ao menos impactar no moral dos integrantes das forças policiais.
Afinal, BASTA de palavras, precisamos de ações:

_Atribuição de independência à Polícia Técnica.
Já pararam para pensar sobre quem é mais importante para a ELUCIDAÇÃO de DELITOS? O Perito ou o Delegado? CSI que o diga!

_Integração salarial entre Polícia Militar e Polícia Civil.
Não queremos integrá-las? Que maneira melhor de começar?

_Oxigenação da pasta, com a dispensa de antigos colaboradores do des(governo) garotinho.
O que ainda fazem lá? E aqui?

_Total publicidade quanto aos dados estatísticos estatais, inclusive no que concerne às taxas de ELUCIDAÇÃO de DELITOS e de conversão de Registros em Inquéritos Policiais.
"Quem não deve não teme".

_Concepção de setor específico na Polícia Civil para elucidação dos homicídios (consumados e tentados) contra agentes da lei.
A quase certeza de punição, fruto de investigações eficazes, pode ser forte impulsor da redução de tais índices.

_Disponibilização pública e voluntária de declaração de bens evalores de todos os gestores de segurança pública como requisito para a assunção/manutenção de cargos.
"Quem não deve não teme".

_Estabelecimento de dedicação exclusiva como requisito para a assunção de cargos públicos de gestão na área da segurança pública.
Como pode alguém ser gestor de segurança privada na mesma área em que deve propiciar segurança pública? Há moralidade?

_Descaracterização de TODA a frota da Polícia Civil, com transferência de aeronaves para a Polícia Militar.

_Retorno de todos os policiais (civis e militares) cedidos.

_Estabelecimento de metas objetivas em matéria de redução da sensação de impunidade, passando, naturalmente, pelo incremento da ELUCIDAÇÃO de DELITOS.

_Determinação para que a PM passe imediatamente a lavrar termos circunstanciados e a registrar, sempre nas Ruas, infrações penais que não ensejem flagrante delito.
Economia de dinheiro público, racionalização de recursos da Polícia Investigativa, melhor atendimento, etc

_Moralização quanto à convivência de agentes públicos com pequenas (e grandes) infrações penais, a começar pelo JOGO DO BICHO.
Como é possível haver um ponto de bicho ao lado de um Batalhão da PM ou Delegacia? E o que dizer de um PM de trânsito trabalhando ao lado de um outro ponto, quase que propiciando segurança aos apostadores?

_Estabelecimento de carga horária semanal idêntica para todos os servidores de segurança, inclusive oficiais do Quadro de Saúde da PM.
O que justifica tratamento desigual?

_Atribuição de responsabilidade, de cima para baixo, por qualquer evento trágico derivado, direta ou indiretamente, de incursões policiais (accontabillity).

_Estabelecimento de política salarial para os servidores policiais, com fixação de data-base.

_Fiel policiamento quanto às decisões "políticas" (contrárias à lei) oriundas de agentes públicos encarregados de cumprir a lei, importando em exoneração imediata sempre que as justificativas exigidas não guardarem sustentação com as ações adotadas, sem prejuízo da responsabilização penal e administrativa.
Que exemplo queremos dar?

_Possibilitação de acompanhamento on line e em tempo real acerca da tramitação de processos e procedimentos administrativos desencadeados a partir de denúncias apócrifas (desde que haja fatos que fundamentem sua deflagração) ou não.

_Gestão integrada e DEMOCRATIZAÇÃO dos bancos de dados policiais, de sorte que o policial de ponta tenha acesso às informações de que necessitar, SEM BUROCRATICIA. Por que os bancos de dados das Delegacias Legais não são acessíveis aos policiais de RP? Não seria importante que pudessem, por exemplo, verificar a FAC de suspeitos SEM TER DE CONDUZI-LOS À DP (cometendo, perdoem, abuso de autoridade)? A quem interessa tal CENTRALIZAÇÃO ABSURDA DE PODER?

_Deflagração de amplo esforço investigativo, de CIMA PARA BAIXO, em relação à conformidade ou não entre salários percebidos, bens e valores possuídos e origem dos mesmos.

Ou será que é melhor que as coisas apenas continem a acontecer de novo?

Como dizia um candidato ao governo, hoje secretário, não adianta mudar o governo se não mudarmos a maneira de governar.

Mudamos?

19 comentários:

Anônimo disse...

Claro que mudamos. Faltou citar que mudaram as 'moscas' mas a M.... continua a ser a mesma.

Samango

James Kroff disse...

parabéns pelo artigo...

nos orgulhamos muito em abrir esta home page e poder sempre ler matérias como esta.

O Alvo da chibata.

James Kroff disse...

leia hoje no blog: O Alvo da chibata

" A Taça do mundo é quase nossa..."

falando sobre mais uma questão que pode ser anulada da prova do CFS I/2006.

leia e dê sua opinião:
www.oalvodachibata.blogspot.com

Bruno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=Oa0eswyZEmw
Já deixei a pergunta no blog oficial da PMERJ e vou deixar aqui para o Major.
O que vai ser feito contra os autores deste infame vídeo, ou vamos só ficar olhando mais um sem moral a nos defamar?

Anônimo disse...

Numa Cidade Muito Longe Daqui...

Me lembrei de um jogo de futebol...

Num campo de futebol muito longe daqui...num mundo distante chamado Fazenda dos Afonsos..

Um Ten Cel PM, "Comandante do Campo de Futebol", boçal e soberano, ao ver que outros policiais, inclusive Oficiais do time adversário questionam faltas não marcadas, irritados pelo que ocorria..ele para o jogo, pede a bola e segurando-a diz:

Escutem aqui! Eu sou o dono da bola. A bola é minha, o jogo é meu, eu mando nessa P.... Aqui o técnico sou eu, o árbitro sou eu. Quem marca falta sou eu, e exaltado diz: P..., o Universo é meu, o RJ é meu, A PM vai ser minha ....
Olha que o fato é verídico. Imagina ele com poder?
Parece até o Joãozinho, um coleguinha de Rua onde eu morava na minha infância que ia todo fantasiado jogar bola. Ele tinha chuteira, caneleira, meião, camisas de times europeus. Ele que levava a bola e as traves de ferro. Aí, como ele era ruinzinho, mas era o dono da bola acabavam deixando ele jogar.
Filho de vó. Coitado. Quando lá no segundo ou terceiro jogo ele ficava de fora, ele acabava aloprando e dizia: Poxa, a bola é minha, o golzinho é meu. Se eu não jogar eu vou levar tudo embora.

Ten Incrédulo disse...

A Segurança Pública do RJ realmente está uma maravilha!!!!!
A PC não elucida os crimes que a PM deveria evitar. E aí Major como resolver. O que é melhor elucidar ou evitar. Perguntem aos pais do menino João Hélio o que eles preferem.
Caro Major, considero o senhor um policial comprometido com a corporação mas essa seu incessante ataque à PC não irá nos levar a nada. A sociedade fluminense não precisa desta guerra entre corporação. Como diz o provérbio: Antes de tirar o cisco do olho alheio tire a trave que está no seu olho. Acho que ao invés de criticar a PC por não elucidar os crimes, deveriamos pensar em como mudar a forma de policiamento ostensivo realizado pela PM, pois será que alguém acha que a forma atual funciona? Afinal nossa função é a de PRESERVAR a ordem, isso inclui certamente evitar delitos. Vamos trabalhar juntos. PM impede e evita os crimes e as exceções a PC elucida. É melhor mudarmos para a Suiça!!!!!!!!


Ten Pm Incrédulo

Luiz Alexandre disse...

Não concordo com vc Tenente. A certeza da punição é a única forma eficaz de se evitar o crime.

Ao contrário do que vc acredita, não existe uma forma "correta" de patrulhamento ostensivo. Se o crime está em todo o lugar, torna-se impossível evitar o delito, pois não temos condições de estarmos em todos os lugares.

Se a investigação funcionasse, quadrilhas inteiras seriam presas, como as de desmanches de carro, revenda de celulares, etc, evitando então o cara que está na ponta do crime, sustentando essas quadrilhas com seus ganhos, a realizar o delito.

O que o Major está fazendo não é um embate com a Polícia Civil, mas cobrando resultados deles, como um cidadão comum, o que é direito de todos. Quem sabe se aquela quadrilha dos assassinos de João Hélio tivesse sido investigada, pois já atuavam a muito tempo, aquele crime não teria sido evitado????

Acredito piamente que somente com a Polícia Militar executando o ciclo completo de polícia teremos resultados na Segurança Pública. O que fazemos hoje é somente guarda territorial. Colocamos uma viatura e homens em um território e cuidamos dele, como se tivéssemos meios o suficiente para fazer isso com o encrudescimento da criminalidade.

Em verdade, a Polícia Civil já é uma polícia completa, pois além da função investigativa que deviam fazer e lhes é de competência, a muito já realizam o policiamento ostensivo. Infelizmente não acho que eles realizem nenhum dos dois serviços de forma eficiente.

É a velha máxima, quem não têm concorrência não consegue efetividade nos serviços, muito menos se preocupa em melhorar - vide os serviços e preços da telefonia celular antes da iniciativa privada entrar (TELERJ CELULAR x ATL). Será que se fizéssemos as funções de polícia judiciária também, não melhoraria até o serviço DELES????

Abraços

Anônimo disse...

Muito se cobra qdo um policial civil faz o policiamento ostensivo. Mas qdo a P/2 faz a policia investigativa eh normal.

Como disse o Tenente, "Antes de tirar o cisco do olho alheio tire a trave que está no seu olho."

Muito se fala do salario do policial civil. Mas olhe bem a diferença salarial de um policial "comum" e de um delegado. Sera que o Policial Civil tb nao esta indignado com essa discrepancia salarial??? Tudo bem, um policial civil ganha bem mais que um soldado PM. Mas um soldado PM pode chegar a capitao, major, tendo um salario final maior que o do Policial Civil de primeira-classe, que seria o maximo que ele chega. E ai? Sobre isso ninguem fala.

Qto a diferença do vencimento de um delegado, comparando com de um PM ou outro policial civil qualquer, ai sim, concordo 100% que ha muita diferença. E nao adianta falar que Oficial PM tem nivel superior, pois o cargo de inspetor de policia civil, agora tem que ter nivel superior. Isso sem falar nos peritos, que nao ganham nem metade do salario de um delegado.

Anônimo disse...

Concordo com tudo, menos com isso abaixo:

_Atribuição de responsabilidade, de cima para baixo, por qualquer evento trágico derivado, direta ou indiretamente, de incursões policiais (accontabillity).

JÁ NÃO SOMOS RESPONSABILIZADOS POR COISAS DEMAIS?!

Bia disse...

Talvez fosse melhor alterar "atribuição" por "aferição" e, sendo o caso, "atribuição", mas, sempre, DE CIMA PARA BAIXO.
O Cel Jorge da Silva bem explicita em seus escritos a perspectiva de aplicação de accontabillity.
Noções de culpa e de responsabilidade devem ser distintamente compreendidas.
O fato é que Cmts de UOp das quais emanam ações que culminam com mortes de inocentes não deveriam continuar alimentando impunimente e à guisa de prover o "combate à criminalidade", a deflagração de tais ações.
SUA RESPONSABILIDADE DEVE SER AFERIDA.

▓▒▒▓ disse...

Não foi dita nenhuma mentira pelo Maj Wanderby.

Wanderby (wanderby@oi.com.br) disse...

Anônimo
Da forma que estão, as P/2 deveriam ser suprimidas e seu efetivo aproveitado em outras funções.
Onde já se viu policiais militares em viaturas descaracterizadas trajando calças camuflafas e camisas pretas com o nome "POLÍCIA"?
Que profissionalismo é esse?
Dá vergonha de tamanho amadorismo!

Decendente de Portugas disse...

Major Wanderby, meu avô é português e ele vive fazendo piadinha com nossa polícia civil.

Ele diz: Porrrrra, a polícia é civil e usa colete e viatra escrito "POLICIA CIVIL". Depois nós Portugueses que somos burros.

hahaha

mango disse...

Se os p/2 não usassem colete escrito polícia, não poderiam fazer o fecha com o português...

Anônimo disse...

O problema ateh onde sei, eh que a P/2 foi criada para investigar apenas os problemas policiais militares, e nao para sair por ai fazendo policia investigativa como ocorre hj. Triste foi ver uma palestra de um promotor publico, falando que hj em dia tem q diversificar mesmo. PC fazendo policiamento ostensivo e PM (com a P/2) fazendo policiamento investigativo. Triste vindo de um promotor. Se for assim, faz a PM virar civil logo ou a PC virar militar!

No exercito, estando ou nao de serviço, o militar para adentrar o batalhao deve estar com cabelo cortado e barba feita(logico que ha uma tolerencia caso va pegar ou estiver saindo do serviço). Na PM, vemos P/2 com barba parecendo Bin Laden e cabelos amarrados no estilo rabo-de-cavalo. Camisas cada um usa a sua, ou como o Sr Major falou, as "famosas" camisas estilo PCERJ, pretas, escrito Policia atras.

Sera que esta fora da "moda militar" fazer a barba e ter cabelo curto? Ja ouvi na rua, para qualquer cidadao ouvir, que o P/2 se gabava por nao ter q usar a farda! Virou vergonha usar a farda???

O problema nao esta na PCERJ, nao esta na PMERJ, esta em TODO o Estado. Onde ja se viu um oficial PM ganhar menos que um Policial Civil. Onde ja se viu um Delegado ganhar mais que 4x mais que um inspetor da Policial Civil que eh carreira de nivel superior? Pq o Rio eh um dos Estados que mais arrecada e um dos que menos paga a sua policia? PC e PM nao foram criadas assim para ter trabalhos diferenciados? Ou sera que o que uma nao faz direito, a outra vai fazer logo na area que nao eh sua? Isso nao seria crime de usurpaçao de funçao?

A mudança deveria começar de cima. E pricipalmente o exemplo. Começando pelo governador, passando pelos respectivos Coroneis e Delegados, ateh chegar nos soldaos classe C e auxiliares de Necropsia 3*classe, que sao os cargos mais baixos das 2 corporaçoes. Mas se eles olham pra cima e nao veem exemplo de seus superiores, fica realmente dificil.

"Faça o que eu digo, nao faça o que eu faço."

Esse eh o lema atualmente... Triste isso.

Bunker

Ten Incrédulo disse...

Caro CAP Luiz Alexandre só agora pude ler seu comentário. Entendo a sua colocação mas não concordo. Se a certeza da punição acabasse com a transgressão certamente a nossa polícia não teria tanto policial sendo excluído!!!

Punição aos culpados é sem sombra de dúvidas muito importante, mas dizer que não há forma correta de policiamento ostensivo é uma grande (desculpe o termo) besteira.
Se for assim vamos transformar todos em polícia investigativa, esperar o crime acontecer e aí prender o criminoso. Repito caro Cap PRESERVAÇÃO, significa impedir, evitar e não prender ou condenar. Acredito que o enfoque que está sendo dado pelo Major Wanderby e agora por você ao tema parece mais "recalque" à qualquer outra coisa.

Vamos unir forças. Só ainda conseguimos trabalhar no Rio pelo fato dos marginais brigarem entre eles. (CV x TC x ADA etc) Não vamos cometer a mesma idiotice. Volto a dizer a PC têm muitos problemas mas não sei se são maiores que os nossos.

Quero ver o sucesso da PM tanto quanto vocês mas antes disso espero não precisar tirar minha família do Rio. A briga não é fazer a PM melhor que a Civil e sim melhorar o estado.

Agora pense!! Se nós queremos fazer polícia investigativa é porque eles não estão fazendo bem, mas será que eles não fazem polícia ostensiva pelo mesmo motivo!!!!!!

Pelo Sim pelo Não espero que as autoridades vejam que na polícia tem gente capaz de planejar polícia, não precisamos tanto de Policiólogos!!!!

Minha continência!!!

Eduardo disse...

Isso que eu havia falado em meu primeiro post. Concordo em genero, numero e grau com o Tenente.

Se a PCERJ eh falha e nao cumpre direito seu papel, o mesmo vale para a PMERJ. Se as viaturas da PCERJ estao mais inteiras, nao eh pq eles ganham mais investimento e sim porque circulam menos. Faltam investimentos do ESTADO nas 2 corporaçoes. Ou seja, falta investimento na area de segurança publica.

Bunker.

Anônimo disse...

E O AUMENTO?? SÓ A PARTIR DE SETEMBRO??? E VAMOS FICAR QUIETINHOS???

SAMANGO