14/06/2007

Causas e conseqüências.

JB-17Jun07

"Balança, outro inimigo da PM

Breno Costa A Polícia Militar do Rio tem algo a mais para se preocupar além do risco de um policial ser baleado em confronto com bandidos nas incursões em favelas. Uma pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a pedido da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), mostra que dois em cada três PMs que atuam dentro e fora dos batalhões da cidade estão acima do peso ideal, propensos a doenças ligadas à hipertensão e ao coração. O levantamento também revela que um em cada cinco policiais são tecnicamente obesos.".

"Estresse diário contribui para a obesidade

A obesidade que atinge 19,5% dos policiais militares do Rio, segundo a pesquisa da Fiocruz, é derivada não só da má alimentação e do sedentarismo, mas também do estresse diário característico da profissão policial. Quem garante é a nutricionista e professora de educação física Andréia Naves, diretora da VP Consultoria Nutricional. Segundo Andréa, o estresse gera produção em excesso de um hormônio chamado cortisol, que contribui - e muito - para o aumento de peso, o que leva os policiais com esse tipo de problema a estarem sempre sujeitos a riscos de enfarte durante o serviço.".
...
- São índices preocupantes. Esses policiais que estão na linha de frente de combate à criminalidade deveriam ter uma condição física mais adequada - diz Edinilsa Ramos. - Mas a pesquisa também revela outras coisas preocupantes. Tem uma parcela considerável que não tira férias há dois, três anos.
...
A pesquisa mostra que quase 40% dos PMs saem do serviço direto para outros trabalhos, sem descanso. ".

E por falar em "outro inimigo da PM", o que "nossos amigos" têm a dizer de concreto sobre o fato de merecermos a pior remuneração do país?
Sobre a ausência de delimitação fática de carga horária semanal (salvo no que concerne aos oficiais do Quadro de Saúde)?
Sobre a interrupção e vedação de gozo de licenças e férias?

Sobre a "legalização do bico"?
Sobre a ausência de equipamentos de proteção individual?
Sobre serviços
extras, perpetrados sob o pomposo rótulo de "Plano de Mobilização de Efetivo"?
Sobre o ethos recorrente derivado da ótica de "guerra" contra o fato social denominado "crime"?
Sobre a impunidade reinante em relação aos delitos praticados, inclusive no que toca ao assassinato de policiais militares?

Sobre...

E nós?

O que temos a dizer?
E A FAZER?

Vamos ou não lutar por uma Polícia Militar melhor?

3 comentários:

Anônimo disse...

ATÉ QUANDO? GREVE JÁ! CHEGA DE COMODISMO! PRECISAMOS SAIR DA INÉRCIA! LUTEMOS POR SALARIOS DIGNOS!

MAIS INCONSTITUCIONAL QUE A GREVE É O SOLDO DE NOSSOS SOLDADOS SER MENOR QUE O SALÁRIO MÍNIMO!

GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!
GREVE!!!

* MOVIMENTO GREVE JÁ!

Genghis khan disse...

Gostaria de ver o famigerado Rancho ser extinto o mais breve possível, acredito que tão somente isso acontecera quando os PPMM fizerem um ato silencioso de repudio a insalubre e nefasta alimentação servida no quartéis. O Movimento seria não comer, isso mesmo, greve em repudio a “gororoba” que é preparada com a nossa “é -tapa” de rancho.

Anônimo disse...

Caro genghis khan.

Teria muita gente rolando de alegria se isso acontecesse!!!

precisamos è parar de trabalhar, greve!!!

aí sim seríamos respeitados e reconheciodos!!!

Jack Lambreck