20/05/2008

Já encontraram a culpada!

11 comentários:

Anônimo disse...

A culpa não é da PMERJ, é do Governo do Estado do RJ!

A Polícia Militar tem problema de efetivo, e sempre terá, porque ninguém vai querer ficar numa corporação tão desvalorizada...

Não adianta abrir concursos, é preciso investir em salários! Precisa fazer faculdade para saber disso?

Anônimo disse...

Com todo o respeito a matéria, tenho que ressaltar apenas um detalhe: a PM é culpada desde 1809....

Anônimo disse...

SE OS PPMM QUE ESTÃO NA CORE, NAS ESPECIALIZADAS, NAS DPs, EM CUSTÓDIAS DE PRESOS, PLANTÕES POLICIAIS EM HOSPITAIS, INTERDIÇÕES E UMA SÉRIE DE SERVIÇOS QUE DEVERIAM TER PPCC, POIS SÃO DECRETADOS POR DELEGADOS...TALVEZ FOSSE POSSÍVEL IMPEDIR MAIS ESSE CRIME COMETIDO CONTRA UM CIDADÃO FLUMINENSE.

CORRETO?

PENSEM NISSO!

SdPMERJ
81.XXX

Anônimo disse...

SEGURANÇA PÚBLICA DO RIO DE JANEIRO NO FUNDO DO POÇO - PMERJ AGONIZANDO

O Governo do Estado do Rio de Janeiro, apesar de ter a segunda maior arrecadação de impostos do país, permite que seus cidadãos sejam "servidos e protegidos" por Policiais Militares com SOLDOS inferiores ao SALÁRIO MÍNIMO!

Faz sentido o dito popular que afirma que "PIMENTA NOS OLHOS DOS OUTROS É REFRESCO".

O salário digno, além de garantir a cidadania da pessoa, pode funcionar como uma espécie de antídoto anticorrupção, por aumentar significativamente a capacidade de resistência do homem, no momento de uma oferta inimiga.

Salário de POLICIAL MILITAR no Rio de Janeiro tem que ser de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) para cima, para dar ao miliciano uma condição digna de sobrevivência.

A União paga um VENCIMENTO decente aos seus agentes, enquanto o Estado do RJ paga um VENCIMENTO miserável aos Policiais Militares. E isso reflete na motivação do PM, uma vez que, por exemplo, sabendo que um Agente Federal, no início de carreira, hoje, ganha R$ 6.200,00 (R$ 7.500,00 em 2009), enquanto o SD PM aqui, nas mesmas condições, R$ 850,00 mensais, não vai encontrar ânimo algum para o trabalho, ou seja, o fator psicológico atua na sua cabeça de forma destrutiva e, a partir daí, pouco se pode esperar de um profissional nessas condições.

A falta de investimento no profissional, não vislumbra outra saída, senão federalizar toda a segurança publica. Não pode a União continuar fora dessa questão, já que a SEGURANÇA PÚBLICA, com as DEMANDAS que ela impõe (o nível de investimento, a sofisticação do crime, a importância da vida das pessoas, seus reflexos no exterior, cenário internacional, efetivo ideal, materiais e equipamentos necessários, etc.) e o seu ALTO CUSTO, não pode continuar com quase a totalidade das suas ações AGONIZANDO nas mãos dos governos estaduais, tal como definiu a nossa CF, mesmo porque, todos os atos criminosos de repercussão, em qualquer parte do território nacional, ganham as páginas do mundo com muita rapidez, assim como refletem em toda a nação e, conseqüentemente, muito mais no PRÓPRIO PRESIDENTE DA REPÚBLICA do que nos GOVERNOS ESTADUAIS, daí, a necessidade de modificá-la para interesse NACIONAL, assumindo a União toda a sua responsabilidade ou pelo menos parte do seu ônus.

O POLICIAL MILITAR MERECE UM SALÁRIO DIGNO!

A BOA REMUNERAÇÃO atrairia para as Polícias Militares PESSOAS MAIS BEM QUALIFICADAS, moral e intelectualmente, o que iria refletir na qualidade desses serviços.

A sociedade precisa tirar a SEGURANÇA PÚBLICA do buraco em que se encontra, pois somente assim poderemos reduzir a criminalidade, ou seja, salvar o povo brasileiro de tanta violência e modificar esse caótico quadro em que vivemos, resultante da falta de investimento no Policial Militar.

SEM A POLÍCIA MILITAR, NÃO HÁVERÁ DEMOCRACIA, CIDADANIA E NEM LIBERDADE NO RIO DE JANEIRO.

MSC disse...

O "ex-pm", excluído em 1994, que 9 anos mais tarde - 2003 - foi preso pelo ex-Delegado Alcides foi localizado e morto, em menos de 24 horas, por um invejável Esquadrão de 50 Delegados da Polícia Investigativa.
Alcançado em plena rua, segundo moradores locais, desarmado, tentou fugir, sendo perseguido e morto a tiros pela "equipe".

Se isto não é o "império da barbárie", alguma autoridade pública poderia explicar o que é então?

Detalhe: ainda não ouvi um só "gemido" de entidades do tipo: OAB, ONGs de Direitos Humanos, Ministério Público, Poder Judiciário, mundo acadêmico, etc...

Aliás, posso ser "surdo", alguém ouviu pelo menos um "murmúrio"?

Anônimo disse...

A SOLUÇÃO PARA O POLICIAMENTO OSTENSIVO É FACIL BASTA COLOCAR O CORE A PÉ PARA FAZÊ-LO.
A SOLUÇÃO PARA TODOS OS HOMICÍDIOS NO ESTADO É FACIL, BASTA COLOCAR OS 50 DELEGADOS PARA INVESTIGAREM E EXTERMINAREM OS HOMICIDAS, NEN A JUSTIÇA PRECISARIA TRABALAHAR MAIS.

Anônimo disse...

SINCERAMENTE O CULPADO NAO E O GOVERNADOR E SIM OS TODOS PODERESOS CORONEIS PM QUE ACEITAM TUDO CALADO.OU SERA Q TEM ALGO POR TRAS QUE
A TROPA DESCONHECE??

Anônimo disse...

O GOVERNADOR PISA EM CIMA DAS CABEÇAS DOS PM E COM APROVAÇÃO DE MUITOS CORONÉIS PM, COMO DISSE O CHEFE DO ESTADO MAIOR QUE GANHAR IGUAL A ALMIRANTE QUE VAI PRA MARINHA,ISSO DEMOSTRA QUE PESSOAS COMO ELE QUE ESTA NO ATUAL COMANDO DA PM QUE NAO ESTA NEM AI PRA SALARIO DIGNO E QUE TUDO VAI CONTINUAR DO JEITO QUE ESTA.COMO DISSE CERTA VEZ UM RESPEITADO CORONEL PM É ILUSAO ACHAR Q UM DIA O PM TERA SALARIO DIGNO.

Anônimo disse...

os delegadinhos poderiam fazer um curso de poliia no CFAP, só assim aprenderiam realmente o que é ser policial. Também poderiam solicitar um guarnição da PM para levá-los para casa. risos...

Anônimo disse...

os delegadinhos poderiam fazer um curso de poliia no CFAP, só assim aprenderiam realmente o que é ser policial. Também poderiam solicitar um guarnição da PM para levá-los para casa. risos...

Anônimo disse...

Paulo Roberto da Silva - Delegado de Polícia - Titular da 109ª DP.

O blog tem autor, sinônimo de dono, e a minha condição de Delegado de Polícia é quase a garantia da censura ao comentário. Mas, não custa nada tentar.
Reporto-me ao meu ilustre comentarista, que omite sua identidade atrás da sigla MSC, e que já pode dormir sossegado. Um membro da OAB já levantou a hipótese de que a morte de Alexandre Lins, o frio e covarde assassino de meu companheiro Alcides Iantorno, tenha sido uma execução.
Congratulo-me com o nobre missivista, que possivelmente é policial e que suponho sinceramente jamais tenha sido alvo de tiros de marginais, como o autor destas linhas, vítima de um atentado em razão de seu ofício de policial e que sobreviveu graças unicamente ter percebido a cilada. Mesmo assim, foram cinco tiros de uma saraivada que atingiram ao alvo.
Reagi, mas não consegui matar nenhum dos dois marginais e se voltei a andar é pela excelência do serviço de fisiatria da Polícia Militar, que me acolheu sem esse ranço que teimam em despertar entre as duas instituições.
Mas, uma constatação: durante o velório de Alcides não vi um ongueiro desse dos direitos humanos, apresentar sua solidariedade à família policial enlutada, o que de resto não constitui nenhuma novidade.
E na noite de ontem mais um policial morreu. É o sargento da PM Márcio Alex de Oliveira Santos, trucidado na porta de uma igreja evangélica e com a garantia de que nenhum grupo de defensores dos direitos dos marginais irá aparecer para dar os pêsames à viúva.