14/06/09

A questão do auxílo moradia na PM do RJ

No dia de hoje, ao entrar na blogosfera, fiquei realmente pasmo com a mais recente postagem do blog "mostrando a verdade".
Como procurei demonstrar quando a questão foi repercutida pela imprensa, fiquei sim inconformado, como cidadão assalariado e morador de aluguel que sou, com as denúncias de que a segunda maior autoridade da PM do RJ residia em imóvel do estado e mesmo assim recebia auxílio moradia dos cofres públicos.
Tenho recordação clara das declarações do secretário de segurança do RJ dando conta de que já teria determinado o corte do pagamento indevido e das informações oriundas do Ministério Público levando a crer que o ato não ficaria impune.
Pois bem, como pode ser observado no aludido blog, ele ostenta o que seria o extrato da folha de pagamento da citada autoridade no mês de maio de 2009 :




Acredito que tal fato deva merecer a necessária consideração por parte das autoridades competentes, inclusive no sentido de (se for o caso) responsabilizar o autor da talvez nem tão grosseira montagem.
Deixo este blog à disposição de quem deve ser o principal interessado em que a verdade se estabeleça, abrindo espaço para que contradite as informações postadas no blog supra e até mesmo para que seja reproduzido comprovante de que tal indenização foi realmente cancelada ou de que o imóvel foi desocupado.

Ou será que tudo continua como dantes?

3 comentários:

Anônimo disse...

O secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, disse à imprensa, que todos os coronéis que ocuparam o posto mais alto da Polícia Militar, o comando-geral da tropa, desde 1983, continuaram recebendo o auxílio-moradia mesmo morando de graça em casas da corporação. A declaração veio como uma tentativa de justificar o fato de o atual chefe do Estado-Maior da PM, coronel Antônio Carlos Suarez David, morar, há pelo menos cinco anos, em um imóvel de propriedade do Estado sem abrir mão dos R$ 942,13 mensais de auxílio-moradia. Beltrame disse entender que não houve dolo por parte de David, já que ele adotou a mesma conduta de todos os oficiais superiores que já passaram pelo comando da PM.
Isso quer dizer que um erro justifica o outro? Que um possível crime deixa de existir porque outras pessoas já o cometeram anteriomente? Ou será que todos os oficiais que 'esqueceram' de comunicar que estavam recebendo um dinheiro indevido serão punidos e obrigados a devolver o montande aos cofres públicos? Os valores debatidos são altos: nos últimos cinco anos, David embolsou mais de R$ 56 mil de forma indevida. Somado ao que foi gasto com oficiais de comando nos últimos 26 anos, o dinheiro poderia ser investido em efetivas melhorias na segurança pública.
Vale lembrar que: "Quando o policial ou bombeiro ocupar imóvel próprio estadual ou arrendado pelo poder público, o quantitativo correspondente à indenização de auxílio de moradia será sacado e recolhido pela corporação para atender despesas de conservação, condomínio e outras análogas", diz trecho da Lei 658, de 5 de abril de 1983. Com a palavra o Ministério Público Militar, a Procuradoria Geral do Estado e a Corregedoria Geral Unificada.

Anônimo disse...

MAJOR, LEIA SOBRE A ARRECADAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, FONTE JB ON LINE:

http://jbonline.terra.com.br/pextra/2009/06/13/e130616030.asp


DEPOIS O COSMOPOLITA EUROPEU DIZ QUE NÃO TEM DINHEIRO PARA O REAJUSTE!

Anônimo disse...

Cadê o a Secretaria de Contas que não cobra a devolução desse valor? Cadê a corregedoria (órgão independente?) que não pune este oficial? Há tá, ele tem PODER. Ou seria a um protecionismo aos seguidores de uma "seita" que anda se espalhando entre oficiais e os poderosos, que têm feito uso indevido de seus cargos poderosos e se valido desta "seita" para não serem sequer julgados, quem dirá punidos????? Vai saber...