01/12/2006

Parabéns BRAVOS Aspirantes.

Aspirantes com estrelas reluzentes.
Aspirantes dignos, ousados e competentes.
Aspirantes que, enquanto Cadetes, conseguiram encontrar o equilíbrio entre o fiel cumprimento dos deveres militares e a necessidade do exercício da crítica ponderada, mesmo superando o temor do contraposto da "goiabada".
Aspirantes, quase oficiais, paramentados com estrelas nos ombros como tais.
Aspirantes, futuros oficiais, cujas mentes e mãos fizeram externar ferrenhos desejos e nobres ideais.
Aspirantes, não mais Cadetes, podeis escrever, fazer, fazer fazer, convencer e vencer, AINDA MAIS.

9 comentários:

Ferreira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Ferreira disse...

Obrigado por ser esse brilhante oficial. Obrigado por nos mostrar que a PMERJ pode ter um futuro extraordinário. Agradeço pelo exemplo que o senhor é para a Turma Fúria, agradecimento este que se extende ao Sr. Capitão PM Wanderson, que nos guiou nos nossos primeiros passos nesse sacerdócio, que como diz o saudoso Ten Cel PM Schitinni, é servir a PMERJ.

Talvez o senhor não saiba, mas a turma fúria ainda conta ao bicharal sobre este excelente oficial, MAJ PM WANDERBY. Que colocava o sexto uniforme e ia trabalhar junto as praças, que tratava todos com equidade e justiça independente de seus postos ou graduações, que pedia desculpas por seus erros (raros) e que representa até hoje a esperança de que podemos mudar a nossa corporação. Obrigado pelo exemplo, pelo idealismo e pelo destemor.

Ass: Um jovem aspirante, da Turma FURIA!

PS: Esqueci de algo importante. O Ten Cel PM Schitinni, disse uma vez que existem três tipos de oficiais da PMERJ:
Primeiro, existem aqueles que nem se sabe se passaram pela PMERJ; em segundo existem aqueles que passam, mas poucos se lembram; e em terceiro existem aqueles que passam e deixam a sua marca, que são eternizados em nossa Corporação. Para nós o senhor já deixou a sua marca!

Anônimo disse...

Sr. Maj Wanderby. Ouço muito falar no sr, e na maioria das vezes bem. mas também ouvi falar, que em um dos Batalhões em que se encontrava, fizeram chegar às suas mãos uma denúncia concreta, com dados, nomes, esclas, dias etc.. denuncia esta que comprovava o mau-cartismo de alguns oficiais, que cobravam propina dos praças para vender folgas...
Após uma longa apuração, feita pelo sr, ao que consta "Tudo continuou como antes, no quartel de Abrantes..", e os mesmos oficiais continuaram lá fazendo a mesma coisa...
Do que adianta falar em melhorar, limpar ou coisas assim, se quando temos a oportunidade em mãos, nada fazemos?
Além de defender a bandeira da TC, o sr. não defende a bandeira da moralidade e honestidade? Se o faz, porque sua investigação foi arquivada major?
Em tempo: Se fossem os praças (sargenteantes) que vendessema folga, ou vendessem escala fantasma como acontece(u), seriam eles vistos da mesma forma corporativista?

Samango.

WANDERBY disse...

Caro Anônimo
A busca da moralidade e da honestidade não deve estar desacompanhada da bandeira da legalidade, da presunção de inocência e do devido processo legal, sob pena de nos desviarmos do caminho da justiça e enveredarmos pela odiosa trilha do preconceito e do autoritarismo.
Pelo que observei, você fez referência a denúncias anônimas que ensejaram, em um primeiro momento, a instauração de Investigação Sigilosa e, após, a Averiguação de Portaria n.º 203/2530/2005, cujo encarregado fui eu mesmo.
Na verdade, as denúncias citavam nomes, inclusive de praças, e datas, propiciando a busca de ampla gama de documentos e tomada de quase duas dezenas de oitivas, ao fim do que não restaram evidências concretas e objetivas que pudessem comprovar as acusações anônimas feitas (e citadas).
Todavia, temo que não deva se preocupar muito, já que as mesmas denúncias foram enviadas, desta feita, segundo soube, por civil envolvido com o transporte alternativo em São Gonçalo (o qual foi indiciado por denunciação caluniosa nos autos de Averiguação também por mim conduzida) a diversas autoridades, suscitando a deflagração de novo procedimento apuratório, tendo por foco, inclusive, a lisura (ou não) das providências por mim adotadas no curso do feito e a regularidade (ou não) de minhas conclusões, pelo que sugiro que busque as organizações correcionais da Corporação para o fornecimento de maiores subsídios contra quem quer que seja.
Obrigado

Mauro Fliess disse...

Caro Veterano, bela homenagem para uma turma merecedora de tal honraria, turma esta que tem em seu DNA um traço marcante dos Braga de Medeiros. Obrigado por colaborar na formação desses jovens.

Wanderby disse...

Caro Fliess
Como dizem, "a tropa é reflexo do Cmt".
Parabéns Comandante!

Alexandre de Sousa disse...

Com atraso de alguns dias, devido a minha recente dificuldade de acessar a Internet, gostaria de agradecer a homenagem do Sr. Maj Wanderby à turma Fúria.

Espero correponder às expectativas e poder, além de escrever, "fazer, fazer, fazer, convencer e vencer, ainda mais".

Anônimo disse...

É Sr. maj Wanderby...acho que entendi...o sr. apurou, OUTRO OFICIAL IRÁ APURAR O QUE O SR APUROU,...e no final terminará tudo em...."Um Encontro de Veternanos!" Ah, se fosse um CB, SD ou SGT os mentores....seriam imediatamente punidos e expulsos, não é?
Talvez não fosse o caso de remeter o que o Sr. apurou para o MP verificar? Aí sim seria isento, não acha?
Não sei se a sua consiciência te deixa tranquilo, mas soube que os mesmos medalhões, continuam lá, fazendo a mesma coisa! O Sr. tem responsabilidade nisso, pois esteve em suas mãos extirpar o mal.
Samango.

Wanderby disse...

Caro Anônimo
Fique tranqüilo, pois o responsável pela apuração está muito além dos veteranos.
Quanto ao MP, sinceramente, acho ótima
idéia.
Entendo suas posições e agradeço os comentários.