05/09/2007

Ignorância, deficiência de assessoramento ou má-fé?

.
O AUTOR:

zito@alerj.rj.gov.br

A "OBRA":

"INDICAÇÃO LEGISLATIVA Nº 101, DE 2007

CRIA A DUPLA JORNADA DE TRABALHO PARA OS POLICIAIS MILITARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

SOLICITA AO EXCELENTÍSSIMO SENHOR GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO O ENVIO DE MENSAGEM CRIANDO A DUPLA JORNADA DE TRABALHO PARA OS POLICIAIS MILITARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.

A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
R E S O L V E:


Encaminhar, na forma regimental, ao Excelentíssimo Senhor Governador do Estado do Rio de Janeiro, solicitação de envio de Mensagem a esta Assembléia, de acordo com o seguinte Anteprojeto de Lei:

CRIA A DUPLA JORNADA DE TRABALHO PARA OS POLICIAIS MILITARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.


Art. 1º - Autoriza o Chefe do Executivo Estadual a criar o regime especial e facultativo de trabalho de jornada dupla, para os policiais militares do Estado do Rio de Janeiro, cujo aproveitamento far-se-á mediante indicação do Comandante de cada Batalhão.

Art. 2º - Os encargos especiais cometidos aos Policiais a que se refere o artigo anterior serão retribuídos com a gratificação de 100% (cem por cento) do vencimento-base de seu soldo.

Art. 3º - A gratificação ora instituída continuará a ser paga nos afastamentos em virtude de férias, licença para tratamento de saúde e treinamento determinado pelo serviço.

Art. 4º - A gratificação de jornada dupla de trabalho não se incorporará como direito e vantagem aos vencimentos e só será devida enquanto o policial permanecer lotado no batalhão que conceder a jornada dupla de trabalho.Parágrafo Único – O tempo de serviço da dupla jornada de trabalho contará para fim de aposentadoria, na forma da legislação vigente, não incidindo sobre ele adicionais por tempo de serviço.

Art. 5º - As despesas decorrentes da aplicação desta Lei correrão à conta das dotações orçamentárias próprias, ficando o Poder Executivo autorizado a abrir os créditos suplementares que se façam necessários.

Art. 6º - Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogada as disposições em contrário.Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, 4 de setembro de 2007.

DEPUTADO JORGE PICCIANI
Presidente".

12 comentários:

Anônimo disse...

Ignorância?

- Com certeza que sim, só alguém em completa ignorância sobre a carga horária da maioria dos PPMM, que trabalham 04 dias por semana num total de 48hs de trabalho, com direito a ir madrugada a dentro de 12hs de serviço ineterruptos. Com cereteza se ele soubesse não teria assinado.

Deficiência de assessoramento?

-Com ceretza que sim, os que bajulam não o orientaram sobre o mal que ele causaria a tropa com esse projeto. Acredito que os assessores dele devem ser daqueles que estão acostumados a botar a tropa de extra indiscriminadamente, e que se exploda a qualidade do serviço; a vida da praça que não tem tempo e dinheiro pra se aprimorar e condicionar e o mais importante, a segurança de todos nós.

Má fé?

-Com certeza que sim, ele mirou no que viu, acertou. E acertou o que não viu, se isso for sancionado pelo Governador, provavelmente o Deputado vai usar isso na campnha para prefeitura de Caxias, ou seja, mais uma vez o couro do PM é utilizado pelos políticos para ganharem votos.

SAMANGO!!!!

Subten disse...

Ia ser engraçado observar um Policial Militar na rua dobrando o serviço... depois de 48 horas ininterruptas de trabalho ele teria 24 horas de descanso.. e depois mais 48 horas de trabalho... seria um profissional super atento ao serviço, no esplendor do seu desemprenho físico, na magninitude do seu desemprenho psíquico... E tudo isso para ganhar o dobro... o dobro da miséria. Deputado... peça pra um digníssimo colega seu apresentar um argumento qualquer desses que vossas senhorias usam pra retirar um projeto que não lhes interessem da pauta. Fica mais bonito pro senhor. Melhor que eu mandar você cagar no mato!

MARIA CHRISTINA ANTUNES FREITAS disse...

Sr. Maj Wanderby:

Acredito que alguém há de lembrar ao Dep. Zito, que já aconteceu a ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA!
Imagino o tipo de "Assessoria Prá-Lamentar" que o Dep. Zito deve ter em seu gabinete.
CREIO EM DEUS PAI!

Um abraço,
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

Anônimo disse...

Mais uma porcaria na alerj,mas tem pms que veneram este(grande deputado), qual seria o termo certo para definir este sujeito???????????????

Anônimo disse...

Me parece ser tudo de ruim junto.......

Anônimo disse...

QUE FEIO ZITO,O PM NA ESCALA DE 24h POR 48h ,JÁ TRABALHA TODOS OS TRINTA DIAS DO MÊS,FACIL MULTIPLICA 24h POR 10 QUE VAI DAR 240h,OU SEJA 8 h DE TRABALHO POR DIA , MULTIPLICADO POR 30 DIAS VAI DAR 240 h ,MAS ONDE ESTA A FOLGA DO PM ? NÃO EXISTE .O PM JÁ FAZ DUPLA JORNADA DE TRABALHO SÓ FALTA RECEBER.

Anônimo disse...

Eu resumo essa atitude desse deputado em: IGNORÂNCIA, DESPREPARO E FALTA DE SENSO !!!

esperar o que de um semi-analfabeto????

Anônimo disse...

Para mim, é pura má fé mesmo!

Como um deputado que não me lembro o nome, vem falar que a Alerj teve aumento somente de 4%! Será que eles também estão com 54% do salário defasado como a PMERJ? Ou será que não tem reajuste há 12 anos? É muita cara de pau!!!

Anônimo disse...

ESTE É O POLÍTICO QUE ALGUNS PMS ENALTECEM..........NÓS VAMOS MARCAR VOCÊ,ZITO,COMO O HOMEM QUE DEU A IDÉIA DE REGULAMENTAR A ESCRAVIDÃO NA PMERJ!

Anônimo disse...

´É uma Mula!!!

Anônimo disse...

idiota...
a culpa é da população de caxias...
cambada de analfabetos que votaram nesse pistoleiro. O que esperar de uma população que é FRAMENGO; compra CHICRETE, e que o meio de transporte é a BICICRETA. Assim continuarão a falar VAREIA o modo que se vê.
sem mais comentários que vou acabar escrevendo errado..rsrsr
quem é sabe !!!

Anônimo disse...

Bem que o cidadão acima, poderia antes de expressar sua indignação, respeitar aqueles que assim como ele, foram enganados e se tornaram vítimas desses políticos que tudo prometem , mas nada cumprem. Cabe ressaltar a esse cidadão ANÔNIMO que ele em seu comentário se alto-classificou de analfabeto, pois ele faz parte dessa mesma população que fala errado, não por ignorância, mais sim por falta de governantes que respeitem os milhares de cariocas.