26/09/2007

Não nos apequenemos!

"Ante a escolha do novo Secretário de Segurança Pública, é bom lembrar que o cargo em questão não está inserido no rol daqueles que possuem prerrogativas militares. Logo, ele não terá direito à continência individual.
Ele não terá direito à continência de tropa.
Ele não terá direito à apresentação individual.
Ele não terá direito à presidência de solenidades militares, embora deva assumir posição de certo destaque, o que não se confunde, de maneira alguma, com a necessidade de que as honras militares sejam destinadas às pessoas que gozem de tais prerrogativas - E SÓ A ELAS.
Ele não terá direito à assunção de posição de 'sentido' quando do 'toque de SSP'. A propósito, ele também não deveria ter direito ao toque (basta verificar sua fundamentação, calcada no fato de que, à época de seu 'formidável' advento, o cargo era exercido por oficial do último posto, porém, inativo - que também não deveria merecê-lo, posto que o cargo é de natureza CIVIL, NÃO COMPORTANDO PRERROGATIVAS MILITARES).
É bom lembrar também que oficiais inativos não têm direito à continência de tropa e que a única autoridade civil, no âmbito dos poderes executivo, legislativo e judiciário fluminenses, que tem direito à continência é o GOVERNADOR DO ESTADO (SÓ ELE).
É claro que a continência é uma forma de cumprimento através da qual o militar PODE saudar os civis DE SUAS RELAÇÕES, mas, é óbvio, tal FACULDADE não é bastante para que nos olvidemos dos preceitos supra, regularmente aplicáveis na PMERJ por força do R-2, IG10-60 e da própria Lei n.º 443/81.
E, antes que seja tarde, é bom frisar que também não há como se atribuir as prerrogativas supra ao cargo mencionado, salvo através de modificação no R-2 (Decreto Federal); a não ser que vedemos a freqüência de oficiais generais às nossas solenidades ou então que 'determinemos' a tais autoridades militares que passem a observar a precedência HIERÁRQUICA por nós estabelecida em relação ao cargo de secretário de segurança.
É bom lembrar que absolutamente nada impede que qualquer militar ocupe o cargo de secretário de segurança, tenha o posto ou graduação que tiver (lógica que, embora também se aplique aos cargos civis expressamente enunciadas no R-2, não permite, nas hipóteses lá preconizadas, escusas quanto ao direito à continência, mesmo emanada de oficiais generais). Percebam, por obséquio, que 'uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa'. E que, como diz o aforismo, 'Deus está nos detalhes'. Tenhamos mais atenção aos mesmos.
Vale lembrar também que em algum lugar do arcabouço legal pátrio, 'lá no alto', está escrito que ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer nada, senão ...
Portanto, também não apresentem platéia de militares ao secretário de segurança por ocasião de eventuais palestras ou reuniões. Adotem tal providência em relação ao militar de maior precedência e anunciem estar acompanhado da citada autoridade CIVIL.
VALORIZEM A FARDA, A CULTURA MILITAR e OS GALÕES.
Sejamos (e MOSTREMOS QUE SOMOS) PROFISSIONAIS; militares de polícia.
Façamo-nos respeitar institucionalmente, sem esquemas de bajulação pessoal, que NADA DE BOM agregam à Corporação, ainda que possam se prestar ao alcance de objetivos de natureza privada.
Logo, por favor, comecem CERTO, tenham CORAGEM e NÃO FAÇAM o que NÃO DEVE SER FEITO." (postagem feita neste blog em 18/11/06).

Eu confesso que pretendia postar foto constante do jornal "O Globo", de 26/09/07, logo abaixo do texto supra, mas fui advertido por minha consciência de que seria leviano fazê-lo, uma vez que não presenciei o contexto no qual foi tirada, não podendo precisar, por exemplo, se a mesma se deu no momento em que era executado o Hino Nacional.

Espero que não estejamos mais incorrendo no erro de destinar honras militares ao secretário de segurança (nem tampouco a quaisquer outras autoridades cujas circunstâncias se equivalham às citadas), por melhores que sejam as intenções, já que nenhuma delas suplanta o respeito que deve merecer o caráter militar de nossa instituição, sua história, suas tradições e a honorabilidade de muitos de seus antepassados.

7 comentários:

Anônimo disse...

Fato este aconteceu na em uma delegacia de s.g.
certa guarniçao do 7 bpm conduziu um cidadao para ser autuado por desobediencia na tal dp, pois, o mesmo trafegava com sua motocicleta sem os documentos necessarios e obrigatorios, ao ser informado que sua moto iria ser levada ao dep publico, o tal cidadao se negou a acompanhar os pms ao batalhao, que depois de muito custo foi colocado na vtr e conduzido a dp.
E que ao chegar la, foi feito contato com a autoridade presente( que nao era o dr del pol.), apos narrar os fatos ao inspetor, a guarniçao foi informada,( pelo inspetor), que nao iria ser feita a autuaçao do cidadao, acreditem, iria dar muito trabalho por nada, apos ser presionado pelos pms o inspetor resolveu ligar para o dr del pol.
Ao voltar com a resposta da autoridade daquela delegacia, o inspetor informaou aos pms que se continuassem com ideia de autuar o cidadao por desobediencia iria prender os pms por abuso de autoridade!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! pasmem gente!!!!!!!!!!!
E isso a hora ia passando, os pms chamaram a sup, que conseguiram fazer com que o inspetor trabalhassem um pouco mais, fazendo a ocorrencia, pois, o tal inspetor era amigo do supervisor!!!!!!!!!!!
chega de moleza vamos encher a delegacia com varias ocorrencias!!!!!!!!!!!!!!!!!

E PAU NELES!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Outro dia fui à solenidade militar de entrega do Espadim da Academia Militar das Agulhas Negras. Toda solenidade do Exército é presidida pelo Exmo. Sr. presidente da Republica. Na ausência desta autoridade a solenidade é presidida pelo Comandante do Exército ou pela autoridade militar de maior precedência.
Eis que compareceu a solenidade o Exmo. Sr. Ministro da Defesa. Como o previsto foi anunciada a presença do Exmo. Sr Ministro de Estado sendo dado o toque e o exórdio correspondente, porém quem presidiu a solenidade e recebeu a apresentação da tropa foi o Exmo. Sr. Gal de Ex. Comandante do Exército Brasileiro. 'Deus está nos detalhes'.
Na PMERJ já presenciei cada absurdo.
Toque de Corneta para Secretário de Segurança.
Desfile para o Vice-Governador com Oficial General presente na solenidade.
Somente por duas vezes vi a APM D. João VI fazer o correto na solenidade.
Uma foi quando o Sr. estava na APM onde o CML compareceu ao Espadim e foi a ele prestadas as honras militares. O Ex- Governador Garotinho passou em revista a tropa com o Gal porque este o convidou.
A outra foi em 2005 quando compareceu o Comandante Geral dos Fuzileiros Navais e ele “abriu mão” das honras para o Secretário de Segurança que não tem direito as honras militares.
Resumindo:
Na PMERJ só tem direito a continência e toques Presidente, Governador, Ministros de Estado, oficiais Generais, oficias das Forças Armadas e Oficiais da PMERJ E CBMERJ. As demais autoridades não tem este direito.
'Deus está nos detalhes'

Anônimo disse...

Perfeito Amigos
Até porque se isso desse notoriedade e prestígio à PM, não teríamos o pior salário do Brasil.

Anônimo disse...

Proponho que nas próximas eleições, nós, funcionários públicos estaduais e quem mais quiser, declaremos abertamente nosso repúdio aos governos Garotinho, Rosinha e Cabral, atingindo o PMDB. Sei lá poderíamos tentar unir todos os sindicatos e espalhar out doors por todo o estado mostrando a população que a situação na saúde, educação, segurança, etc só tende a piorar.

Exemplo de out door:



ATENÇÃO CIDADÃOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO






NÓS, MÉDICOS, PROFESSORES, DEMAIS FUNCIONÁRIOS DA SAÚDE E EDUCAÇÃO, DO DEGASE, DESIPE, POLICIAIS MILITARES, BOMBEROS, POLICIAIS CIVIS, etc, VIMOS DEIXAR CLARA NOSSA INTENÇÃO DE NÃO VOTAR NO CANDIDATO FULANO DE TAL, DO P M D B HAJA VISTA SEUS ANTECESSORES, DO MESMO PARTIDO, NADA TEREM FEITO PARA MELHORAR O ATENDIMENTO E A QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESADOS POR NÓS, BEM COMO TÊM NOS DEIXADO À MÍNGUA, COM SALÁRIOS DEFASADOS, HUMILHANTES.




Ou seja, bater de frente literalmente, deixando claro que não votaremos nele nem no partido e expondo isso por todo o estado...

Anônimo disse...

outro out door


CIDADÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO:

SAÚDE, EDUCAÇÃO, SEGURANÇA FUNCIONAM DE FORMA PRECÁRIA PORQUE HÁ 12 ANOS OS GOVERNADORES NÃO VÊM DANDO A DEVIDA IMPORTÂNCIA A VOCÊ, QUANDO NÃO INVESTIRAM NEM NESTES SERVIÇOS NEM EM QUEM OS EXECUTA.
SOBRA PRA VOCÊ!
FUNCIONÁRIO PÚBLICO MAL REMUNERADO; POPULAÇÃO MAL ATENDIDA.
O QUE NÓS QUE MORAMOS NESTE ESTADO PRECISAMOS É DE POLÍTICOS QUE HONRAM SUA PALAVRA.
OS DO PMDB, NO PODER HÁ TRÊS MANDATOS, SABEM BEM DO QUE ESTAMOS FALANDO.
AS ELEIÇÕES ESTÃO AÍ.
QUEM NÃO HONRA A PALAVRA DADA NÃO TERÁ NOSSO VOTO.
NUNCA MAIS!

CHEMG disse...

ISTO REALMENTE NÃO DÁ PRESTÍGIO PARA A INSTITUIÇÃO, MAS POR AGRADAR AQUELE QUE RECEBE ESTA PUXADA DE SACO, MANTÉM POR MAIS TEMPO NO COMANDO DA INSTITUIÇÃO AQUELE QUE NÃO QUER SAIR DA CADEIRA.
ASS. CHEMG

Anônimo disse...

Afinal de contas você é ou não é o Chefe do Estado Maior Geral? heim CHEMG? Se for você é um grande cara de pau, ou está pensando que você não sabe, que todo mundo sabe, que voce quer derrubar o Birinha, e trabalha por debaixo dos panos,24 horas para isso?