07/02/2008

Carta aberta a vocês

A vocês, responsáveis por uma das maiores indignidades já praticadas.
Pelo vilipêndio a valores fundamentais... nobres; pelo acinte à memória de tantos e tantos já tombados; de pessoas dignas que nunca sequer cogitaram barganhar honra por conveniências pessoais, por dinheiro, por gozos pueris. HONRA!
Tenho vergonha de vocês... e tenho certeza absoluta de que tal sentimento é compartilhado por muitos, alguns, quiçá, mais próximos do que possam perceber.
Sei que a história é contatada pelos vencedores... mas sei também que a verdade sempre aparece, que a justiça tarda mais não falha e que, ao final, o bem sempre vence. E, acreditem, o embate está longe de acabar.
Seus atos indignos ecoarão por gerações e representarão paradigma de imoralidade, covardia, traição, falta de hombridade, DESONRA...
Aconteça o que acontecer, vocês não serão esquecidos!
E não me perguntem a quem se destinam estas rápidas e mal escritas linhas.
Se você não tem dúvidas, parabéns por seu senso crítico ou, quem sabe, por seu senso de autocrítica.
Se você tem alguma dúvida quanto a elas serem ou não destinadas à sua pessoa, elas são.

Wanderby Braga de Medeiros

19 comentários:

sombra disse...

Wanderby você sabia que o Exmo. Sr. Governador apesar de declarar que não viajaraia ao Colorado para esquiar, viajou as "escondidas", depois o chamam de pinóquio e o mesmo fica ofendido.
Um abraço.

Anônimo disse...

Os indignos sabem que o são. E entenderão o recado, muito embora alguns possam não sentir vergonha do que fizeram, pois são despudorados mesmo.
Mas seus familiares...

Anônimo disse...

A tropa nao perdoa: PITTARIA ja virou sinonimo de traição, e.g.: "PO, meu irmao, vai ficar de PITTARIA comigo?"

Anônimo disse...

A OXIGENAÇÃO

Nosso Governador promete oxigenar a Policia Militar, sinceramente gostaria de acreditar, espero que não seja mais uma das muitas promessas que fêz e faz.
Vamos dar um crédito de confiança. Merece?
Bem, por onde será que ele vai começar?
Será que assinando os inúmeros processos de passagem para a inatividade que se acumulam nos escaninhos palacianos?
Se isso ocorrer, com toda certeza mais de cinqüenta oficiais terão sua situação regularizada e serão inativados senão “oxigenando” a corporação, certamente corrigindo uma irregularidade governamental.
Ah! Vai ver que vai começar dando o exemplo e exonerando seu Coordenador Militar da Casa Civil, que é reformado por ser incapaz para o serviço Policial Militar.
Ué!
Mas vocês perguntarão: Pode?
A Coordenadoria Militar não é um serviço Policial Militar?
Direi: era até o inicio desse governo.
Não, irá começar mandando para o "pijama" o subchefe da Coordenadoria que também possui mais de seis anos no último posto. Será?
Claro que não, começará transferindo para a reserva o coordenador militar do líder do governo na Assembléia que também possui mais de seis anos e por um simples acaso foi Comandante Geral no governo passado.
Pode simplesmente desengavetar o projeto apresentado pelo Coronel Ubiratan, que após ler, o Governador achou ótimo, mas que até a presente data não colocou para frente.
Já sei, descobri, vai começar pelos “BARBONOS” .
Ih! Mais nenhum deles tem mais de quatro anos. Tiro no pé?
Não, ele vai mudar a lei e diminuir para três anos, assim ele consegue pegar pelo menos um.
Mas só um?
Pode ainda reduzir um pouco mais ou mudar a lei de modo a que todos aqueles que contrariem o “rei” sejam decapitados.
Viva o Rei.
Acorda, fala sério.
Será que não está na hora de deixar de lado o mimo e começar a agir como homem público?
A quem está tentando enganar, o Coronel quando completa quatro anos passa a condição de não numerado, gerando assim à vaga necessária a oxigenação do quadro.
O máximo que vai conseguir, além de fazer mídia e tentar “inventar a roda” é buscar uma caça as bruxas, que mesmo assim a curto prazo não ocorrerá.
O governador ainda não entendeu que estes Coronéis não são como as pessoas que ele está acostumado a lidar, abrem mão de seus cargos e gratificações de quase quarenta por cento de seus irrisórios salários em troca de melhorar as condições de trabalho para seus subordinados.
Que alguns, independente do tempo que lhes resta, já estão pedindo inativação por desgosto para com este governo.
Que a reserva não os calará, talvez ocorra justamente o inverso, já que não mais se preocuparão com as conseqüências disciplinares que poderão ser aplicadas aos seus subordinados diretos.
Ouvir os assessores é um princípio, claro, auxiliares que saibam outras respostas que não o balançar de cabeça em concordância.
A crise na Segurança Pública está aí, é inegável.
Não pode aproveitar os ensinamentos que a vida está oferecendo?
CORONEL ESTEVES – BARBONO
PAULO RICARDO PAÚL
CORONEL DE POLÍCIA
CIDADÃO BRASILEIRO PLENO

SIDINEY PEREIRA DE ARAUJO disse...

Nossa luta pelo bem comum,não vai ser tombada,seremos vitoriosos sim,pois creio que o mau nunca vencerá o bem,força irmão ,pois a luta está só no inicio .
Cabo PM 60389 SIDINEY PEREIRA DE ARAUJO DO BPRv.
NÃO TENHO MEDO DE NADA POIS TENHO DIGNIDADE .

Anônimo disse...

Wanderby, há pessoas, como essas d quem vc fala no seu texto, q perdem a oportunidade de colocarem nas histórias medíocres de suas vidas, pelo menos um único momento de honradez, mas não vencerão: eles ficarão marcados por toda a posteridade com a mancha da indignidade e serão lembrados apenas como referência de infâmia, traição e incompetência para subir pelos próprios méritos

Anônimo disse...

É verdade. Alguns nomes que não ficaram esquecidos:
1)Judas Iscariotis;
2)Brutus, filho adotivo de júlio César;
3)Joaquim Silvério dos Reis;
4)Domingos Fernandes calabar.
Nomes que não serão esquecidos:
5)...................?
6)...................?

Anônimo disse...

REFLEXÕES SOBRE MAIS UM CIDADÃO MORTO NO RIO DE JANEIRO


Os pedidos quando feitos por pessoas certas e por motivos nobres, devem ser sempre encarados como uma ordem.

Motivo pelo qual passo a redigir o seguinte texto, que quero deixar claro, nenhum militar colaborou com o

mesmo.


Imaginemos a seguinte coisa:

- Você é cidadão de uma República Federativa, igualzinha como reza a teoria geral do Estado brasileiro, que possui

status perante o mundo de nação não-beligerante, ou seja, em tempos de paz;

- Você, após sair do trabalho, oferece carona no seu veículo aos seus amigos de trabalho, pois você goza do direito

à propriedade, bem como goza do direito de ir e vir, ambos inalienáveis no direito brasileiro;

- Você, no deslocamento do trabalho para a residência, acompanhado de 2 ou 3 amigos, observa que após sair do seu

local de labuta, existe um outro veículo, que aparentemente segue seu carro;

- Você, quando está há um pouco mais de 500 metros de seu local de trabalho, observa que o veículo a sua espreita

está perto demais de seu automóvel;

- Você é ultrapassado por um veículo, que impede repentinamente o seu direito de ir e vir, bem como de seus amigos

de trabalho, que estavam no interior do seu carro, quando após a ultrapassagem, o veículo interrompe a sua passagem

e "o fecha".

- Você vê cidadãos da mesma República Federativa que você vive, desembarcarem do veículo que "o fechou", e

procederem na direção de seu veículo, estando os elementos do carro fortemente armados, inclusive com armas de fogo

exatamente iguais as usadas pelo exército soviético, americano e alemão na segunda guerra mundial, na segunda guerra

do Iraque, no conflito entre Afeganistão e Estados Unidos e por outras nações em tempos de guerra, ou em estado de

guerra civil, considerando que na república Federativa em que você vive, tal armamento tem o uso proibido em

território nacional, quando utilizado por civis;

- Você, provavelmente acoado com o que vê, ouve dos cidadãos armados que é para você e para seus amigos entregarem

as armas, porém você não possui arma e não tem o que entregar. Motivo pelo qual inconscientemente, instintivamente e

acreditando que mais do que qualquer outra coisa, você e seus amigos, possuem o direito assegurado e inelienável à

VIDA, e ausente todo e qualquer braço do Estado Constituído para lhe proteger e proteger seus amigos, sente-se

totalmente sem saber o que fazer diante de tal situação, fato que faz com que desesperadamente todos, você e seus

amigos, seguindo a ordem aleatória da vida, tomem rumos diversos, simplesmente por um motivo: PARA NÃO MORRER no

meio da rua, há 500 metros de seu local de trabalho.

- Você tem sorte! Houve sons ensurdecedores do armamento utilizado por quem proibiu seu direito de ir e vir. Mas um

de seus amigos, na roda da fortuna não tem o mesmo destino do que você! E um dos estampidos acerta este seu amigo

que deu azar. Acerta na cabeça. Você consegue se homiziar, como ratos, junto de seu outro sortudo amigo, e saem do

campo de visão dos cidadãos armados. Mas seu amigo alvejado, não consegue prosseguir, ele cai, e não satisfeito

recebe mais alguns disparos em corpo, como se necessário fosse para retirá-lo de uma coisa que já possuía mais, a

vida.

- Os cidadãos armados, agora considerados pela legislação vigente como marginais da lei, criminosos ou infratores

tomam destino ignorado, foge.

- Membros do braço armado do Estado Constituído chega. E vamos atribuir a estes membros um nome aleatório, digamos,

policiais e dentre estes policiais, estavam os do chamado "serviço reservado", que também vamos atribuir nomes

aleatórios, agora, digamos, PM-2;

- Quando você vê os policiais chegarem, você espera que eles já tenham alguma resposta do ocorrido. Espera algum

alento, algum conforto. Ou qualquer segurança que uma pessoa que perdeu abruptamente seu direito de ir e vir, bem

como viu seu amigo de trabalho perder seu direito inalienável a vida, esperaria. Momento que, esta tal de PM-2, o

tal do serviço reservado, passa a indagar algumas questões a você, que, cabe lembrar, é dono do veículo, o pagou com

esforço próprio, bem como todos os impostos regulamentares. Digamos que seu veículo em tela seja, aleatoriamente, um

Renault Clio. Questões essas que você acredita: SÃO ÓBVIAS PARA ELUCIDAÇÃO DOS FATOS. Mas você fica perplexo com o

teor das perguntas. Quais sejam?
"QUAL A ORIGEM DO CARRO?"
"QUAL A SITUAÇÃO DO VEÍCULO? ESTÁ PAGO?"
"OS IMPOSTOS ESTÃO PAGOS?"
"VOCÊ É HABILITADO?"
"ONDE VOCÊ MORA?"
"O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO AQUI?"

- E aí você pensa, pois pelo menos os pensamentos são livres: Será que a PM-2 está achando que eu que sou o marginal

da lei? Será que algumas destas perguntas, sendo positivas, ou sendo negativas, interferiria no ocorrido?

Elucidariam os fatos? Habilitariam os transgressores da lei a executar um amigo de trabalho há menos de 500 metros

dele?

- E o pior:

- Imaginemos agora que você é Policial Militar, mas não qualquer policial, você é aluno. Você é cadete;
- Que seus amigos no veículo são Policiais Militares, iguais a você;
- Que você trabalha na Academia da Polícia Militar, local onde se formam os Oficiais da Corporação.
- Que o Cadete, seja no primeiro, segundo ou terceiro ano de seu curso de formação não possui, por força de

regulamento interno, autorização para o porte de armas.

- E que no deslocamento para delegacia, você ouve um Oficial dialogando, através de um aparelho de comunicação por

rádio, a seguinte conversa: "essa historia está muito mal contada, ninguém mata polícia assim".

Será que alguém, algum cidadão qualquer, é obrigado a ouvir isso? é obrigado a passar por um constrangimento

igual a esse? É como se a tábua dos valores, a tábua do certo e do errado. Do homem da lei e do marginal. Do bem e

do mal. Da verdade e da mentira, hovesse sido virada, tivesse sofrido uma guinada de 180º.
É preciso que alguma coisa seja feita. Seja feita energicamente contra esses marginais. Todos eles. Mas

principalmente contra aqueles que permitem que marginais armados com fuzis perambulem pela rua, sob qualquer motivo,

seja para defender facções, seja por milícias, seja para roubar carros, seja para roubar armas, seja por qualquer

motivo. Algo está errado. Muito errado no local em que moramos.
Necessário se faz prender os verdadeiros marginais, aqueles que dão a guinada na tábua dos valores. Esses

sim. Esses sim devem ser os primeiros a serem subjugados pela lei e ser presos. E acabam por subverter a ordem

social, permitindo que cidadãos de bem, alunos de uma escola de formação de oficiais, sejam tratados como se fossem

bandidos, simplesmente por ter um carro e simplesmente por ter sido abordado por marginais armados, e simplesmente

por ter o amigo morto. Morto com um tiro na cara. Um tiro que não permitiu nem que seus familiares vissem seu rosto

no caixão.
Necessários se faz prender esses verdadeiros insurgentes à legislação vigente, esses reais traidores, esses

verdadeiros insubordinados à legislação vigente, que simplesmente retiram policiamento das ruas, a fim de divulgar e

lucrar com sua máfia de "segurança particular", através da necessidade de uma população desesperada.
Isso é que a PM-2 deveria estar apurando no momento em que um futuro Oficial, guardião da lei, que um dia

ergueu uma arma que continha a seguinte inscrição: PRO LEGE VIGILANDA, havia sido executado próximo à sua escola de

formação.

"O BRASIL É UMA REPÚBLICA CHEIA DE ÁRVORES E PESSOAS DIZENDO ADEUS" (Carlos Drumond de Andrade)

Anônimo disse...

Pittaria?? hahahaha
Essa foi ótima!!!
Pq será?? Provavelmente vem daquela velhar frase passar um Pito!! rs

Anônimo disse...

Major Wanderby,

algumas das pessoas que assinaram a carta-manifesto e estavam presentes aos movimentos estão sendo exoneradas de unidades de pequeno escalão e por incrível que pareça, estão sendo nomeadas em unidades de médio escalão, ou seja, comandos intermediários, que é o caso do Cel Alvaro Garcia, que saiu do RCECS e foi para o Cmdo UOpE, eu gostaria de saber o que está acontecendo??? Será que eles estão de Pittaria também??? Aliás em falar em herança deixada pelo Cel Pitta, no seu antigo reinado, a PM-2, a postagem feita neste assunto aqui onde fala de policiais da PM-2 querendo apurar a morta do cadete é bem interessante, quem ensinou a eles a desconfiarem dos inocentes???Será que foi o mesmo que ganhou a confiança de vários Oficiais, com seu discurso de INTELIGÊNCIA, e foi o primeiro a dar uma apunhalada nas costas do que antes o estendia a mão???
É Major eu acho q essa moda de PITTARIA OU JUDARIA OU TRAIÇÃO está pegando na corporação...
Abraços e meu sincero respeito a vossa pessoa como profissional e como homem de caráter...

Anônimo disse...

D E S G O V E R N O

E o AUMENTO???

Anônimo disse...

sugestão para novos cartazes:


"Sérgio Pinóquio, 4% (R$8,00) não é aumento. É esmola de pão duro!"

"Sérgio Pinóquio, saco vazio não pára em pé, nem para levar tiro. A polícia fluminense passa fome."

"Pinóquio Cabral, cadê o reajuste DIGNO prometido?"

"Sérgio Pinóquio, polícia excelente e de graça não existe !"

"Sérgio Pinóquio, policial é gente e sua família tem necessidades, sabia?"

"Sérgio Pinóquio, aumento só de trabalho? Valorize o policial!"

Anônimo disse...

O não cumprimento das promessas de campanha é um total desrespeito aos profissionais de segurança e à população fluminense. Policiais Militares do Rio recebem vencimentos miseráveis, os soldos estão abaixo do salário mínimo (menor salário do Brasil). Além da pior remuneração do país, os PMs têm que trabalhar sem os equipamentos obrigatórios (coletes anti-balísticos) e com viaturas em péssimo estado de conservação.

Anônimo disse...

Catador de lata consegue faturar R$ 2.000,00 (dois mil reais) por mês sem problemas, uma renda muito superior à do Policial Militar do Rio de Janeiro.

Anônimo disse...

Fim do Rancho
se eles dizem que o dinheiro do rancho tambem serve para concerto de viaturas, e agora que vai ser tercerizado a manutenção....para onde vai o dinheiro ????????

Anônimo disse...

Ouvi dizer que um Empresário do ramo dos Transportes Rodoviários conhecido como "Barata" vem a ser sogro do Ilustríssimo Governador. Que este mesmo empresário foi o responsável pela "contribuição" para a campanha política do ILMO Governador e que agora está querendo "ajudar" um Senhor de nome Onofre, que por conscidência, é o Presidente do DETRO, isso mesmo, aquele Órgão que "através" do CEL Messias, solicitou ao então CMT da PM, Sr. CEL de Polícia UBIRATAN, 40 homens para ficar a disposição do referido Órgão e que prontamente lhe foi negado. Teria sido esse o motivo da Exoneração? Não quero acreditar....

Anônimo disse...

Cópia do blog "A POLÍCIA QUE QUEREMOS"


Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2008
Sobre uma saidinha de banco e nossa incompetência

Fato hipotético. Ou real.

Cliente entra no banco para sacar três mil reais. Fica espantado com o reduzido número de pessoas ali dentro; apenas quatro. Ele é o quarto e o único na fila. Vai ao caixa, efetua a retirada. Sai, atravessa uma praça, entra no carro e volta para casa. No caminho lembra dos conselhos dados por parentes policiais quanto aos cuidados que deve tomar e o tempo todo não desgruda os olhos dos retrovisores a fim de se certificar que não está sendo seguido. Estaciona na calçada e ao sair do carro nota a aproximação de dois homens em uma moto, vinda na direção contrária. Adivinhem. Aos costumes, o carona, arma em punho, diz " quero os 3 mil que você acabou de sacar e que está nesse bolso aqui " apalpando sua calça. Feito isso evadiram-se. Dois mil para cada em apenas cinco minutos.
Na DP, após ouvir seu relato perguntei se havia comentado com alguém sobre o saque tendo ele dito que não!
Esse é um caso diferente!
Fui ao chefe, contei-lhe o fato e disse que iria ao banco trazer o funcionário do caixa, apreender seu telefone celular e pedir a quebra de sigilo telefônico da agência, bem como o cd com as imagens do fato ocorrido uma hora antes.
Ao voltar para minha mesa para concluir o Registro de Ocorrência, continuei a entrevistar a vítima e dela ouvi o mesmo: " Inspetor, o senhor não bota isso aí não, mas na minha opinião o caixa está envolvido. Os caras sabiam até meu endereço".
O fato de uma viatura da polícia ir à agência tão logo tome ciência do ocorrido já daria um ar de seriedade, faria com que as pessoas notassem que " estamos correndo atrás, investigando ". Ao contrário, quando o cliente é roubado e vai à DP para fazer RO e de lá sai com o papel na mão sabendo que nada será feito de imediato, que nem ao local iremos, ele se pergunta: registrar para quê?
É isso que ocorre. Nada!
O chefe me respondeu: " Tá maluco? Trazer ninguém! Libera a vítima, envia um ofício ao banco solicitando cópia das imagens. Eles não entregam na hora. Precisam acionar um técnico que quando puder vai à agência, copia as imagens que nos interessa, passa para o jurídico, que após analisá-las nos remete. Isso pode demorar meses, até".
Ah, as polícias de primeiro mundo...
E ele está certo. Eu mesmo aguardo resposta de alguns ofícios há meses. Parece que não existe nenhum interesse a quem os remetemos em colaborar com a polícia. E pensar que a americana requisita por telefone informações que, no ato, são atendidas. Certa ocasião um detetive pediu à administradora de certo cartão de crédito informação sobre a última vez que o investigado havia usado o cartão tendo como resposta que em hotel tal, onde está hospedado agora. Que povo o americano!
Voltando ao caso, traria o caixa do banco em primeiro lugar porque ele foi o último a estar com a vítima se bem que particularmente nesta cocorrência eu o teria como o principal suspeito.
Mas trazer o funcionário não pode.
Se o intimássemos ele poderia se sentir acusado e mover ação contra o delegado, contra o estado.
Então para que estamos ali?
Será que esse funcionário vive de acordo com o que ganha?
Qual o seu carro?
Onde mora?
Como se veste?
Mas parece que ao policial civil lotado em distritais não é permitido pensar. Registrar é preciso; investigar não é.
Quanto às ocorrências de pequeno potencial ofensivo, a estas chegamos talvez a 95% de solução. Afinal não é assim tão difícil levar ( levar não, convidar pelo correio ) à DP o autor de uma injúria, de uma difamação, de uma calúnia, ameaça, lesão corporal leve, culposa... Nesses casos a própria vítima nos fornece seu nome e endereço...
É isso. É esse o motivo do blog.
Precisamos quebrar paradigmas, dar agilidade à ação policial, obrigar ( nem que seja ) as pessoas jurídicas a atenderem o quanto antes as requisições de informações. Precisamos prender bandidos. Eles precisam saber que estamos atentos e no seu encalço e que isso começa assim que tomamos ciência do cometimento do crime.
Apuramos todas as ocorrências pequenas e assim conseguimos mostrar serviço a uma pessoa; aquela que foi xingada ou ameaçada.
Apuramos cinco em cem ocorrências em que a sociedade inteira poder ser a vítima. Basta simplesmente trocar de prioridades.
Aliás, oficiei o banco " pedindo " ( por favor, assim que vocês puderem, pelo amor de deus ) cópia do cd com as imagens. Quando remeterem aviso aqui.
Aliás o que farei para identificar o dono do rosto? Somos quantos? 40 milhões de brasileiros homens com o perfil do autor?
Como deve ser bom ser policial de verdade!

Anônimo disse...

O blog é "A POLÍCIA QUE PRECISAMOS"

Anônimo disse...

Sexta-feira, 8 de Fevereiro de 2008
DATA LIMITE DE AUMENTO PARA PMs E BMs : 05 DE ABRIL


Amigos Leitores


lembram-se quando da exoneração do Cel PM Ubitaran Ângelo, do comando Geral da PMERJ, que o Chefe do Gabinete Civil do Estado do Rio de janeiro, Sr Régis Fichtner, afirmou ao colunista Jan Theophilo, do Informe do Dia, que o Estado não iria negociar sob pressão e que só falaria de salário em abril ou maio?


Atentem ao que estabelece a Lei Federal nº 9.504, de 30 de setembro de 1997 :


"Das Condutas Vedadas aos Agentes Públicos em Campanhas Eleitorais


Art. 73. São proibidas aos agentes públicos, servidores ou não, as seguintes condutas tendentes a afetar a igualdade de oportunidades entre candidatos nos pleitos eleitorais:


VIII - fazer, na circunscrição do pleito, revisão geral da remuneração dos servidores públicos que exceda a recomposição da perda de seu poder aquisitivo ao longo do ano da eleição, a partir do início do prazo estabelecido no art. 7º desta Lei e até a posse dos eleitos."


O Significado é o seguinte: O Estado só pode nos dar um aumento até 05 de abril, ou seja, seis meses antes da eleição de 05 de outubro, portanto quando o Sr Régis Fichtner disse que só negociaria em abril ou maio, ele estava seguindo a mesma linha de negociação de 2007, isto é, não irão nos conceder nenhum aumento salarial!


Caros leitores, se até 05 de abril de 2008 o Governador Sérgio Cabral Filho não nos der um reajuste salarial decente, por força de lei, ele só poderá nos conceder este ano os 5% da inflação prevista , portanto o tempo corre contra nós, por isso que eles querem calar o Militar Legal por 30 dias.
OBS.: ISSO VALE PARA TODOS OS SERVIDORES PÚBLICOS DO BRASIL