04/02/2008

DIGNIDADE E HONRADEZ SÉRGIO CABRAL

"AVE, SÉRGIO!
AQUELES QUE VÃO MORRER TE SAÚDAM!
AQUELES DE QUEM TU ÉS O COMANDANTE SUPREMO E A QUEM PROMETESTE ESTENDER A MÃO FORTE PARA SOCORRER ... TE SAÚDAM!

SAÚDAM O TEU INCONTESTÁVEL PODER DE AMEAÇAR AQUELES QUE NÃO SE ESCONDEM NAS SOMBRAS DA COVARDIA, E DE QUERER PUNIR AQUELES QUE, EM NOME DA LIBERDADE DE TODOS, JURARAM OBEDIÊNCIA!

SAÚDAM TUA IMENSA SABEDORIA DE LHES OFERTAR A ESPERANÇA NAS ELEIÇÕES, E DEPOIS LHES CONCEDER AS MIGALHAS E A INDIFERENÇA!

Ó MAGNÂNIMO! NÓS QUE VAMOS DERRAMAR NOSSO SANGUE DIANTE DO FOGO INIMIGO... TE SAUDAMOS!

NÓS, CUJO SOLDO PERMITE MORAR EM QUEIMADOS, NOVA IGUAÇU, SANTA CRUZ E IR, DE ÔNIBUS, TRABALHAR NA ZONA SUL, PARA DAR SEGURANÇA ÀQUELES QUE DETÉM A MAIOR RENDA PER CAPITA DO ESTADO... TE SAUDAMOS!

NÓS, QUE NÃO TEMOS INFLUÊNCIA PARA FAZER DE NOSSOS PAIS CONSELHEIROS VITALÍCIOS DO TRIBUNAL DE CONTAS... TE SAUDAMOS!

Ó PODEROSO! NÓS QUE ENCARAMOS OS FUZIS INIMIGOS EM VIATURAS COM PNEUS CARECAS E SEM BLINDAGEM... TE OVACIONAMOS!

Ó EXCELENTE GOVERNADOR, EXEMPLO DE GESTOR E CONHECEDOR DA EDUCAÇÃO, DA SAÚDE E DA SEGURANÇA! NÓS QUE ACREDITAMOS NO TEU DISCURSO E TE ENTREGAMOS NOSSA ESPADA, RENDEMOS- TE NOSSAS HOMENAGENS PELA IMPRESSIONANTE E INIGUALÁVEL CAPACIDADE DE SANAR OS PROBLEMAS QUE AFLIGEM A SOCIEDADE FLUMINENSE: NÃO HÁ MAIS FALTA DE PROFESSORES, OS NOSSOS HOSPITAIS SÃO REFERÊNCIA E É POSSÍVEL CRUZAR COM POLICIAIS E BOMBEIROS GARBOSOS, EM VIATURAS QUE CHEGAM A BRILHAR DE TÃO NOVAS...

Ó MAJESTOSO! NÓS QUE DEIXAMOS NOSSAS FAMÍLIAS PARA, DIA E NOITE, PROTEGER A TUA, TE PEDIMOS:

ANTES DE NOS OFERECER EM HOLOCAUSTO AOS ABUTRES E ÀS HIENAS, CONTA, AO NOSSO POVO, QUE ESTES HOMENS A QUEM TU APONTASTE A ESPADA QUE RECEBESTE, MARCHARAM, SEM ESCUDOS OU MÁSCARAS, EM BUSCA DE UMA COISA QUE MUITOS NÃO ENTENDEM O SIGNIFICADO: DIGNIDADE E HONRADEZ
! ".
Flávio Santos de Lima

7 comentários:

Anônimo disse...

Cabral diz que crise da PM "já foi superada"Por Felipe Werneck

Rio, 4 (AE) - Apesar da confirmação de que cancelou viagem programada para amanhã, o governador do Rio, Sérgio Cabral Filho, voltou a afirmar que a crise na segurança que provocou a troca de comando da Polícia Militar, na semana passada, "já foi superada". "Estamos com um novo comando eficiente e um secretário vibrante e reconhecido, está tudo bem", disse Cabral, ao chegar ao Sambódromo, na noite de ontem.

O governador disse que a "origem do problema" que resultou na exoneração de Ubiratan Ângelo do comando da PM "era a falta de respeito ao processo hierárquico". "Estava completamente fora das regras, por isso tomamos as ações que tomamos." Ele não falou em aumento salarial, origem do movimento liderado por oficiais, e disse que a mudança é conseqüência do "plano de modernização" da PM. "A autonomia dada ao secretário (da Segurança, José Mariano Beltrame) é total. Daqui a dez dias vamos entregar 650 novas viaturas aos 18 batalhões da PM na capital, que serão mantidas por uma empresa que venceu o pregão, numa gestão terceirizada."

Cabral disse ainda que a viagem de folga foi cancelada "não apenas pela questão da PM". "Não há crise, essa palavra já foi superada por ações comandadas pelo secretário e pelo novo comandante-geral da PM (Gilson Pitta)." Beltrame chegou ao camarote do governador pouco depois de Cabral, acompanhado de Pitta.

O governador afirmou que os deslizamentos de terra que causaram a morte de pelo menos nove pessoas em Petrópolis, na região serrana, ocorreram em função de ocupações irregulares. Ele disse que "esse tipo de coisa acontece quando não há regra para ocupação do espaço".

"É um problema que se repete, entra ano sai ano, com maior ou menor intensidade, em função da ocupação irregular. Sobretudo em Petrópolis, como em outro locais, há falta de preocupação com essa questão, o que leva a dramas como esse", declarou.

Ele disse que o Estado está apoiando as famílias das vítimas e a prefeitura. "O problema é estabelecer e dizer não à ocupação irregular. É algo doloroso, mas que vai impedir, no médio e longo prazo, que isso ocorra em vários cantos do Brasil, não apenas no Rio."Agência Estado

Anônimo disse...

Impagável, irretocável. E infelizmente de uma verdade sem tirar nem por.

não fazem mais tenentes como antigamente disse...

Os barbonos perderam uma grande oportunidade de destacar o movimento ....

foi simplesmente um cadete que foi assassinado, mas nenhum deles estava lá... O maior símbolo da corporação. O militar que permanece durante 3 anos em um quartel, distanciado de seus pais e mães, a mercê de um rigoroso regulamento militar, que resolveu trocar "os melhores anos de sua vida, por uma experiência que ninguém que não é como nós possui".

mas agora ele não existe mais.

mas:

O Cel Pitta, embora tenha chegado atrasado, estava lá;

O Secretário de Segurança, também tendo chegado atrasado e mesmo sem pertencer a nossa instituição, e ainda sabendo q sua presença foi somente política e oportunista, ainda assim compareceu ao enterro.

o Cel Lopes estava lá, humilhando os alunos, que tiveram seu companheiro de CFO ceifado brutalmente, através de palavras, mandando-os "acelerar", caso contrário iria mandá-los para posição de flexão...

O Cel Davi estava lá, pronunciando palavras tribais como: "uipi uipi" e sua tribo respondendo: "urra".

O corneteiro não conseguiu completar o toque de "silêncio", pois estava chorando.

E em que lugar estava o Cel. Paul?
Ou o Cel. Cony?
Ou o Cel. Fialho?
Ou os outros barbonos?

Dos barbonos, confirmaram presença o Cel. Lirio, que era Comandante do morto, e o traidor. Só os dois. E eu pergunto: o porquê?

Da imprensa, só vi câmeras da Rede record. Será que se o Cel. Paul tivesse contatado alguém da imprensa como um todo e tivesse comparecido ao local, a ´mídia estaria lá? Acredito que sim.

O fato de um aluno ter sido morto, poderia ter servido em potencial para o movimento.
Alguém sabe em que APol do garoto foi morto? O Comandante da APol é o Cel. Lopes, aquele mesmo que é extremamente "escroto" como seus sobordinados no quartel, que, ignorando todas normatizações do RCont, ao entrar na cantina do cemitério, cobrou o chamado de "atenção". E quando o tenente mais antigo do recinto se apresentou a ele, ele disse ao tenente, "não podemos perder esses valores"... Provavelmente, este Cel Lopes, que alcançou um Comando Intermediário da instituição, que consegue ser extremamente mau com seus subordinados, ignora a marginalidade de sua APol, esquece, ou abstrai os verdadeiros valores, a finalidade para qual foi formado, ou seja, liderar homens que atuam na preservação da ordem pública.
No local em que o cadete, que em oito anos de polícia, foi o primeiro morto que vi ser enterrado de caixão fechado, foi morto não havia comunidades carentes por perto, mas ainda assim, ele foi morto com um tiro de fuzil na cara, e mais dois nas costas. Pouco depois das 08 da manhã e em um dia de chuva e a menos de 500 mentros da Academia de Polícia Militar...
Como pode isso ter acontecido? será que o oficial superior somente se preocupa com a disciplina intra-muros? será q se esquece o que ocorre do lado de fora de seu batalhão?
Como pode isso ter acontecido? eu estava conversando com um contemporâneo de CFO, onde fiquei sabendo que o referido Comandante do 14º BPM, disse a imprensa que era um "cyborg", que era como o "robocop" e que não possuía sentimentos, e que agia em total cumprimento das ordens que lhe são determinadas... Isso foi verdade? Não pode ser! Como pode alguém ser tão medíocre a ponto de se orgulhar que não possui sentimentos e que cumpre qualquer ordem, isso é ser digno de alguma coisa? isso é bonito? Ou ele esqueceu que a ordem maior ele esqueceu de obedecer? Ou seja, o Art. 144 da CRFB, essa ordem, promulgada pelo povo, foi ignorada por ele.

Mas sabe o que mais me deixa indignado? poderia ter sido eu o morto. Ou poderia ter sido, se fosse há 30 anos atrás, qualquer um dos barbonos, traidores, presentes ou ausentes, qualquer um.
Há oito anos atrás, quando eu também não tinha carro, cansei de pegar carona com amigos de CFO, cansei de passar pelo mesmo lugar onde o extinto militar também passou. Até hoje! Passo todos os dias por lá.
Todos nós, Oficiais, fizemos exatamente o que esse aluno havia feito, e sabe qual a única diferença?

Tivemos sorte.

Ele não.

Anônimo disse...

Agencia Estado - 4/2/2008 8:45

Cabral afirma que crise de segurança já foi superada
Apesar da confirmação de que cancelou viagem programada para amanhã, o governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), voltou a afirmar que a crise na segurança que provocou a troca de comando da Polícia Militar (PM), na semana passada, "já foi superada". "Estamos com um novo comando eficiente e um secretário vibrante e reconhecido. Está tudo bem", disse Cabral, ao chegar ao Sambódromo, na noite de domingo.

O governador disse que a "origem do problema" que resultou na exoneração de Ubiratan Ângelo do comando da PM "era a falta de respeito ao processo hierárquico". "Estava completamente fora das regras, por isso tomamos as ações que tomamos."

Ele não falou em aumento salarial, origem do movimento liderado por oficiais, e disse que a mudança é uma conseqüência do "plano de modernização" da PM. "A autonomia dada ao secretário (da Segurança, José Mariano Beltrame) é total. Daqui a 10 dias vamos entregar 650 novas viaturas aos 18 batalhões da PM na capital, que serão mantidas por uma empresa que venceu o pregão, numa gestão terceirizada."

Cabral disse que a viagem de folga foi cancelada "não apenas pela questão da PM". "Não há crise, essa palavra já foi superada por ações comandadas pelo secretário e pelo novo comandante-geral da PM (Gilson Pitta)." Beltrame chegou ao camarote do governador pouco depois de Cabral, acompanhado de Pitta.

Anônimo disse...

Derrubar a favela do Morro Dois Irmãos é imprescindível. Mas não é prioritário. O inadiável é derrubar o prefeito César Maia. O movimento já começou pelos bravos moradores do Alto Leblon, das ruas Timóteo da Costa, Sambaíba, Visconde de Albuquerque, Jardim Pernambuco, Copacabana quase inteira, Meyer, uma parte enorme da Tijuca, Vilar dos Telles, em suma, o Rio capital inteiro não tem mais como pagar imposto, e esse dinheiro ser desperdiçado por César Maia.
Mas antes de derrubar as favelas e os impostos, é preciso derrubar César Maia. Pode até ser simultâneo. O impeachment do prefeito e a decisão de depositar o caríssimo IPVEA em juízo têm que ser feitos imediatamente, a jato, com a mesma velocidade com que o alcaide-factóide-debilóide joga o dinheiro fora. FORA do investimento comunitário e DENTRO de suas contas bancárias no exterior.
Derrubar César Maia é facílimo. Basta começar pela quadrilha do ICM (fundada, explorada e usurpada por ele) e continuar pelos PROPINODUTOS 1 e 2. Já dei aqui seguidamente elementos de sobra sobre o enriquecimento I-L-Í-C-I-T-O de Maia, e sua vida soberba de “trabalhador sem trabalho”.
Por que César Maia, homem público, não obtém o mesmo sucesso que obteve (e continua obtendo) como homem privado? Não tinha nada, jamais trabalhou na vida (nem como estatal, um fracasso, nem como privatizado, um sucesso mas só em matéria de ENRIQUECIMENTO ILÍCITO), como acumulou recursos e imóveis em quantidade?
Em qualquer país do mundo, com o que eu publiquei a respeito dos GANHOS de César Maia (vem aí a relação suntuosa e acintosa do enriquecimento de Sérgio Cabral e toda sua quadrilha, com os inspetores, réplica dos agentes fiscais municipais), ele já teria sido expulso da vida pública, que só desonrou e desmoralizou e desprestigiou.
Não desmentiu nada e não há mesmo desmentido possível. A respeito do apartamento comprado em Nova Iorque, e que quase lhe valeu a demissão do cargo de secretário da Fazenda de Brizola. (Este me contou e publiquei várias vezes, que ficou receoso a respeito da repercussão dessa demissão. Eu disse a ele: “Brizola, a pior repercussão é manter um desonesto comprovado como secretário”. Brizola tinha toda a comprovação).


BLOG DO AILTON, em 02/01/08
www.ailtonmedeiros.com.br

turma 76 disse...

"não fazem mais tenentes como antigamente": É, ISTO É VERDADE!
Pois se o fizessem não estaríamos lendo isto:"O fato de um aluno ter sido morto, poderia ter servido em potencial para o movimento.
"


Se "fizessem tenentes como antigamente", teríamos visto TODOS presentes ao enterro do cadete Alexandre, e não apenas os escalados.
O não comparecimento do Cel Paúl e de outros Barbonos, ao contrário do que o "não fazem..." apregoa; tem outro significado, ele não é um abutre e nem precisa de um cadáver para promover sua luta.
Sua mente é doentia, mas enfim:"não se fazem mais tenentes como antigamente".


Turma 76

Anônimo disse...

O governador do Estado do Rio de Janeiro colocou verdadeiros robos para ocuparem os altos cargos de comando da polícia militar,que quando perguntados pela crise que ocorre na corporação so sabem dizer que a PM tem em seus alicerces como base a hierarquia e a disciplina ,isso 99%da tropa sabe e faz-se cumprir ,com a camaradagem que ainda é um potêncial de respeito dentro da corporação que passa por cima de da graduação do policial sem que faça que o mesmo seja escroto e na saiba se dirigir a tropa sem a mentira que a policia militar não passa por uma crise ,por favor coloquem outro comandante geral que seja inteligente ,camarada e que não seja mentiroso nem robo,que seja no perfil do antigo comandante um homem de honra que diante dos piores salarios cumpriu seu dever sem assoitar sua tropa que já é tão prejudicada .