16/10/2007

Vale à pena continuar assistindo.

video

Programa "Foco aberto"-NGT-12/10/07.

Parte segunda.

2 comentários:

Anônimo disse...

E agora Wanderby? Algum comentário, depois que SETENTA E TRÊS foram denunciados?

Aproveite e comente também os traficantes da boca de fumo da P-2.

Aproveite enquanto seu tutor ainda não caiu, pois em breve...

Anônimo disse...

A DEMOCRACIA ESTA POR UM FIO,VEJAM COMO ESTA ESTE (DES)GOVERNO.


17/10/2007 01:23:00

‘Tropa’: inquérito abre crise

Após convocação de cineasta, corregedor da PM deve ser exonerado até o fim de semana


Adriana Cruz e Gustavo de Almeida


Rio - O Inquérito Policial Militar (IPM) que apura a colaboração de oficiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) no filme ‘Tropa de Elite’ abriu uma crise na cúpula de segurança pública. Por determinação do governador Sérgio Cabral, como noticiou ontem o ‘Informe do Dia’, o corregedor-geral da PM, coronel Paulo Ricardo Paúl, foi colocado na berlinda. Ficou nas mãos do secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, a decisão de exonerá-lo do cargo — o que deve acontecer até o fim da semana.

O estopim da crise foi a convocação do diretor de ‘Tropa de Elite’, José Padilha, para prestar depoimento sobre como os oficiais ajudaram o longa. Padilha chegou a ser orientado pelo governador a não comparecer, porém recuou. O cineasta deu depoimento na segunda-feira à tenente-coronel Ana Cláudia Siciliano.

Outro que voltou atrás foi o ex-capitão Rodrigo Pimentel, um dos roteiristas do filme. Ele disse ontem que vai depor hoje à tarde, mas que levará folhas impressas com texto do blog pessoal do coronel Paúl em que ele afirmava que se juntaria a outros oficiais da PM — inclusive do Bope — em ação judicial pedindo que o filme deixasse de ser exibido.

REUNIÕES COM CORONÉIS

“Os posts em que o coronel dizia isso saíram do ar, mas tenho a versão impressa”, contou Pimentel. Tanto ele como Padilha disseram que resolveram depor “em consideração ao governador”.

Segundo um oficial ligado a Pimentel, os coronéis Hudson de Aguiar, então comandante-geral, e Wilton Ribeiro, subsecretário operacional, tinham ciência das filmagens de ‘Tropa de Elite’ no ano passado. A informação é de que José Padilha participou de reuniões com os oficiais. Em um dos encontros, Wilton até teria elogiado os policiais escolhidos por Padilha para orientar os atores, os capitães Storani, Laet e Ademar.

A informação é confirmada por um dos autores do livro ‘Elite da Tropa’, que inspirou o filme. O major André Batista afirmou ontem que o diretor, ao convidá-lo para ajudar no filme, deixou tudo bem claro. “Participei muito pouco da orientação aos atores do filme, mas o Zé Padilha ressaltou na época que o comandante Hudson sabia de tudo”, relatou.

Ex-comandante afirma que ‘não se lembra’

Ex-comandante da PM, o coronel Hudson de Aguiar afirmou ontem que não se recorda de ter sido um dos responsáveis pela autorização que permitiu que integrantes da produção do ‘Tropa de Elite’ acompanhassem o treinamento de policiais do Bope. “Não me lembro. Acho que não passou. Será que isso é verdade?”, indagou. Hudson foi o comandante da PM entre julho de 2004 e janeiro deste ano.

Outro que disse não se lembrar do episódio foi o também ex-comandante da PM, coronel Wilton Soares Ribeiro, que à época das filmagens era o subsecretário operacional da Secretaria de Segurança. “Não me lembro disso. Do passado a gente nem lembra mais”, justificou.

Procurado por O DIA, o corregedor da PM, coronel Paulo Ricardo Paúl, disse que não se pronunciaria sobre o assunto.