01/09/08

LEGADO BELTRAME - A POLÍCIA QUE "QUEREMOS"!


5 comentários:

Anônimo disse...

Estamos em 2008 e certamente haverão muitas vagas para concorrer.

* Concurso para Polícia Civil - RJ

* Concurso para Polícia Rodoviária Federal

* Concurso para Polícia Federal
___________________________________________________________________________

Obs: Até a Guarda Municipal do Rio paga melhor do que a PMERJ e o CBMERJ!

CURRICULUM DO GOVERNADOR disse...

Queremos ele fora da política!




Nascido na Paraíba, vem ao Rio entre 5 e 6 anos de idade.


Início dos anos 90: torna-se oficial da PM.


Em 93/94: denunciado por corrupção ativa e formação de quadrilha, é afastado da PM (esteve na famosa lista do Bicho).


Ainda na primeira metado dos anos 90, forma-se em Direito na PUC.


Em 1995: Marcelo Alencar (PSDB) assume o Governo do Estado. Álvaro foi chamado para seu gabinete, ocupando cargos de confiança (inclusive o de presidente da comissão de licitações). Fica lá até 1998, último ano do mandato de Governador de Marcelo Alencar.


Durante esse tempo, fez inúmeros concursos públicos. Inicialmente aprovado, foi excluído de todos nas investigações sociais ou nas provas orais.
Em 1996 passou para Delegado da Polícia Civil. Foi excluído na investigação social. -Conseguiu uma liminar para entrar, mas a liminar caiu.


Em 1998, consegue tornar-se Delegado da Civil por canetada de Marcelo Alencar.


Em 1999: Garotinho assume o Governo do Estado. -A despeito da lei, que proíbe promoção de quem está denunciado por crime funcional, em 2 anos Garotinho promove Álvaro Lins a Delegado em final de carreira e chefe de polícia (mesmo com grande denúncia feita pela mídia sobre sua história).


Em abril de 2002: Álvaro Lins se desencompatibiliza do cargo para ser candidato a deputado. Não é eleito.


Em 2003: Rosinha assume o Governo do Estado. Por pressão de Garotinho, Álvaro Lins volta a chefe de polícia.


Em abril de 2006: Álvaro Lins se desincompatibiliza do cargo novamente para ser candidato a deputado. Acaba eleito deputado estadual com apoio de Sérgio Cabral. Em sua campanha, Álvaro utilizou, irregularmente, o argumento de que efetivaria os concursados da polícia civil. Esse argumento fraudulento lhe garantiu a maioria dos votos. Depois de eleito deputado, ganhou imunidade parlamentar.


Em seu lugar, no cargo de chefe de polícia, entra Ricardo Hallak, indicado pelo mesmo grupo político. Hoje, Ricardo Hallak está preso. Como deputado estadual, Álvaro Lins propõe alguns projetos de lei. Quase todos são contra a impunidade, aumentam a incidência de uma ação que criminaliza determinadas condutas e/ou induzem a um fortalecimento do Estado Penal. Para muitos deles, aplausos da classe média.


A partir de 2007, começam as novas denúncias contra Álvaro Lins. Toda a cobertura da mídia e formação da opinião pública pede a cassação dele, mas em nenhum momento os projetos de sua autoria são questionados.


Em 29 de maio de 2008, Álvaro Lins (PMDB), foi preso em flagrante pela Polícia Federal. Álvaro é acusado de corrupção, lavagem de dinheiro, facilitação de contrabando e formação de quadrilha armada.





AGORA CHEGOU A HORA DO POVO REAGIR E CASSAR NÃO SÓ ÁLVARO LINS, MAS TODA CORJA! Cassa-lo FOI necessário, pois ele é um dos responsáveis pela atual Política de Segurança Pública hipócrita, que mata milhares de pobres sob o pretexto do combate ao crime, mantendo um regime de violência nas favelas e periferias, enquanto garante seus esquemas de corrupção e manutenção de Poder. No entanto, só neste ano, os deputados salvaram a pele de três acusados, mantendo-lhes os mandatos e o direito à imunidade parlamentar. Além disso, o partido de Álvaro Lins é o mesmo do Governador Sérgio Cabral do PMDB e possui maioria na ALERJ. Por isso, sabemos que sem mobilização, O PMDB continuará com seus privilégios parlamentares e esquemas políticos. A Política de Segurança Pública que mata pobres e protege os poderosos precisa acabar e, para isso, cassar Álvaro Lins foi fundamental. Para isso, VAMOS BANIR O PMDB DA POLÍTICA DO RIO DE JANEIRO!!!!!

Anônimo disse...

CAROS LEITORES, A CULPA DAS DENUNCIAS NO JORNAL O GLOBO, NÃO SÃO DOS PMM.POIS OS MESMOS NÃO ESTÃO PREPARADOS NÃO POR CULPA DELES E SIM DO GOVERNO, DO SEC DE SEG, DO COMANDANTE GERAL E DE SEUS COMANDANTES, POIS VEJAM UM SOLDADO QUE TRABALHA 12 HORAS POR DIA E GANHA 800,00 PRATAS POR MES O QUE ESPERAR DESTE SOLDADO, QUE NÃO TEM TEMPO PARA ESTUDAR, NÃO LHE DÃO TREINAMENTO,NÃO LHE DÃO FOLGA, MAS QUE DÃO SERVIÇOS EXTRAS.DESTA FORMA O QUE ESPERAR DO PSICOLOGICO DESTES PMM.ENTRETANTO TUDO ISTO QUE ESTA ACONTECENDO É CULPA DA POPULAÇÃO QUE ELEGEU ESTE IMBECIL DO PINOQUIO, QUE COLOCOU PARA COMANDAR QUEM?REFLITAM SENHORES ELEITORES,OS PMM SÃO OS MENOS CULPADOS ENTENDERAM?

Anônimo disse...

Dia 29 de Setembro é o Dia do Policial.

Lutemos por uma POLÍCIA MILITAR melhor!

Essa carreira tinha tudo para ser bonita e admirada.

O Policial deveria ter orgulho de sua profissão, mas com o pior salário do Brasil é IMPOSSÍVEL!

A baixa renda afasta milhares de pessoas da PMERJ.

O GOVERNO DO ESTADO DO RIO PRECISA VALORIZAR O POLICIAL MILITAR, POIS ESTA É A MELHOR FORMA DE MOTIVÁ-LO!

OBS: VALORIZAR SIGNIFICA PAGAR BEM.

PAGAR BEM seria um Policial Militar, em início de carreira (Soldado), ganhar no mínimo R$ 4.300,00 (quatro mil e trezentos reais).

A PMERJ atende a todos os tipos de ocorrências. Portanto, sua tropa precisa ser bem remunerada para atuar bem, ou seja, oferecer à sociedade um serviço de qualidade.

O Governo do Estado tem investido apenas em quantidade, esquecendo-se da qualidade. É PREFERÍVEL CONTRATAR MENOS E PAGAR MELHOR!

CURRICULUM DO GOVERNADOR disse...

Para descontrair!

Todos nós sabemos que CABRAL não gosta de PM. Acabei de descobrir o verdadeiro motivo!



DATA: 06/03/2006

Tiro fere neta de Tancredo Neves nas nádegas
Não foi só a alegria das escolas de samba vencedoras do Carnaval que marcou o desfile das campeãs do Rio de Janeiro, na madrugada de sábado para domingo. A ex-mulher do senador Sérgio Cabral Filho (PMDB-RJ) e neta do ex-presidente Tancredo Neves, Susana Machado Neves, 42 anos, foi baleada nas nádegas no fim do desfile, dentro da Passarela do Samba. O tiro foi disparado acidentalmente por um policial militar. Outras duas pessoas foram atingidas por balas perdidas ou estilhaços nos arredores do Sambódromo. Susana sofreu o disparo quando, junto com seu motorista e alguns amigos, esperava os filhos e sobrinhos para voltar para casa depois do desfile. Tudo aconteceu na altura do setor 2, próximo ao trailer da PM, de onde partiu o disparo efetuado pelo policial Isnacilde Mendes de Souza. Segundo a PM, ele havia deixado a arma sob custódia no posto para assistir ao desfile e, na saída, decidiu colocar mais munição. Foi quando aconteceu o disparo acidental. "Senti algo queimando e o rapaz que estava ao meu lado avisou: "A senhora levou um tiro", recordou, ainda perplexa. "Contando dá até vontade de rir, de tão inacreditável".



http://www.ultimahoranews.com/not_ler.asp?codigo=16732