07/03/09

Excluído!

Fui alertado e somente então tive minha atenção despertada para o fato.
Claro que já há alguns anos não alimento aspirações de ascensão profissional, mas, mesmo assim, não esperava ver meu nome estampado na relação de "EXCLUÍDOS" no quadro de acesso (QAM) à promoção ao posto superior ("ao lado" de alguns outros poucos nomes).
Fui pesquisar o amparo legal e descobri que minha exclusão derivou do fato de ter "mérito insuficiente" para o exercício da profissão que abracei há quase 20 anos .
O julgamento foi feito pela Comissão de Promoção de Oficiais, cujos membros, ou melhor, alguns deles, estiveram ao "meu lado" em reuniões no "clube de oficiais".
A vida deve ser assim mesmo! As coisas (e as pessoas) mudam...
Por outro lado, devo agradecer o fato de meus algozes haverem mirado apenas em minha pessoa, desprezando vínculos familiares, meio que a tentar, quem sabe, equilibrar a balança. Muito obrigado (mesmo)!
De qualquer forma, ainda me sinto aliviado com o fato de ser apenas mais uma vítima, pois teria muita dificuldade até mesmo para dormir se fosse um dos algozes.

30 comentários:

Anônimo disse...

Caro Major,
Injustiças fazem parte de nossas vidas, mas os valores que o senhor tem, bem como o papel que exerce, mesmo tendo enorme transtorno pessoal, traz um valoroso e importante crescimento profissional e moral a muitos oficiais e praças da corporação.
Minha continência.
Asp 2005.

COTURNO CARIOCA disse...

"Anima-te por teres de suportar as injustiças; a verdadeira desgraça consiste em cometê-las." (Pitágoras)

Um forte abraço

Anônimo disse...

"essa meia dúzia está procurando confronto, a balbúrdia e a desordem na Polícia Militar"

FRASE DITA PELO ILUSTRÍSSIMO GOVERNADOR SÉRGIO CABRAL SOBRE OS BARBONOS. E PARA CALAR A VOZ DOS REVOLTOSOS DEU 223% PARA QUE TODOS COMESSEM NAS SUAS MÃOS!

VIVA OS BARBONOS!!!!!

ferreirão disse...

ALGO TEM QUE SER FEITO PARA ACABAR COM ESSA CORJA QUE SE VENDEU POR 223%.

Anônimo disse...

INSEGURANÇA PÚBLICA NO RIO DE JANEIRO - acendeu a luz amarela

Sérgio Cabral está tentando enrolar a Polícia.

“Enquanto o povo e os policiais morrem, o crime organizado continua festejando e os políticos continuam enrolando”.

Anônimo disse...

Parece que Deus concede esse tipo de PODER PARA PODER, mas o Diabo também testa de todos os lados para ver se o homem é bom mesmo.

Anônimo disse...

Senhores por traz de tudo isso existe um monte coisas que nos deixam envergonhados. Quem conhece a forma como os ALGOZES chegaram ao poder através do sr governador (o responsavel pelas "mudanças") da nossa coprporação, sabe que o estado tem tratado a segurança publica como um lixo

Anônimo disse...

Acredito na Polícia Militar do Rio de Janeiro, assim como acredito nas instituições Públicas, Temos é que saber segregar o joio do trigo. Temos visto exemplos que Poder Público bem remunerado é um dos caminho para se evitar a corrupção. Vamos valorizar o servidor público dando-lhe condições de trabalho digna para que este possa viver com dignidade e assim desenvolver a sua verdadeira função perante a nossa Sociedade. Respeito e dignidade pode ser o caminho.
Chega de humilhação!

luciano disse...

FALTA POUCO PARA 2010!

JUNTOS SOMOS FORTES

Anônimo disse...

E os PMs podem reivindicar melhores condicoes de trabalho como? Atraves de pedidos em tres vias com 53 carimbos burocraticos que serao sumariamente rechacados como foram os oficiais?
Barbonos o retorno já!

Anônimo disse...

Sabe Major, depois daquelas punições por causa de comentários em blogs, ando com o olho no padre e outro na missa. Mesmo no anonimato estou aqui para me solidarizar.

Anônimo disse...

Oficiais ligados ao grupo dos Barbonos, que lideraram uma manifestação ordeira e pacifica foram afastados imediatamente. Lembro-me muito bem quando Beltrame argumentou que ""o estatuto da PM proíbe esse tipo de manifestação""
E uma pergunta que não quer calar!

E OS 60 OFICIAIS QUE FIZERAM BICO NO CARNAVAL?
BELTRAME COMPROVOU PESSOALMENTE A PARTICIPAÇÃO DELES E CADÊ AS TAIS PUNIÇÕES?
E BELTRAME DISSE QUE " O BICO REALIZADO POR OFICIAIS É CLASSIFICADO NO ESTATUTO DA PMERJ COMO TRANSGRESSÃO DISCIPLINAR ""!!!

SABE MAJOR WANDERBY, O PROBLEMA NÃO ESTÁ NO ESTATUTO E SIM EM QUEM USA O ESTATUTO COMO FORMA DE DITADURA PARA OBTER O DOMÍNIO DA CORPORAÇÃO. A BEM DA VERDADE, QUEM MANDA É O GOVERNADOR E ELES OBEDECEM, POIS RECEBERAM 223% PARA OBEDECER.

TODOS NÓS LAMENTAMOS!

REGINA

regina disse...

"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."

Rui Barbosa

Anônimo disse...

Por que não falam em revisão do RDPM?

Por que não discutem o fim do retrógrado militarismo?

Por que não falam em tratar praças com humanidade e respeito?

Por que não acabam com as vergonhosas escalas de serviço que só arranca o couro do praça sem qualquer compensação salarial?

DEIXEM DE BRAVATAS!

Anônimo disse...

Há muito estamos clamando por um novo modelo de estatuto para policiais e bombeiros desse estado,queremos justiça em um novo regulamento,temos que mudar estas mentalidades arcaicas!
Senhores deputados nos ajudem por favor.

Anônimo disse...

o nosso estatuto, que não passa duma sucessão de remendos novos em tecido velho.

Anônimo disse...

São um bando de covardes fardados!
É a lei da mordaça na Pmerj.

CPI da PMERJ disse...

Major Wanderby espero que o senhor publique meu comentário, fiz um fake...não vou ser punido!
Eu acho tudo isso uma palhaçada só, quem manda mesmo é o governador e todo mundo tem é ficar com o rabinho entre as pernas e pronto,e não existe macho existe é marionete.

Anônimo disse...

Caro major wanderby, realmente eu sinto muito por receber tal notícia.
pois sei que és pessoa de bom caráter e é merecedor de tudo o que for de melhor para ti e sua família.
Porém, é sabido que no meio em que vives, estás rodeado de traidores.
Não confie em homens, confie em Deus.
Que Ele te abençôe e te guarde.
post por mais um aleijado da Pmerj.

Anônimo disse...

Comandante,

Não se curve diante esses, pois o senhor não está sózinho como vítima.

É o que eu digo aos companheiros de farda: Na PMERJ, toda a adminitração está montada para que pessos de má índole prevaleçam. Pois quem tenta apenas fazer o bem e o melhor para todos é repelido por esses fascínolas e egoístas que querem engolir o boi com chifre e tudo. E quem não compactua com eles não chega a lugar algum ou é perseguido.

Mas tenha Fé! Pois os justos nunca são esquicidos por Ele. E muito menos aqueles que por obrigação do cargo ou poder que possuem, devem fazer sempre o bem ao próximo. Mas sucubem a tentações e fazem o oposto. POR TANTO, PARA ELES TAMBÉM HÁ UM PLANO DE DEUS!

SD PM

Fabíola Scunderlick disse...

Realmente esse Cabral é o coco do cavalo do bandido, não consigo entender pq esse povo carioca vota num extrume desse.
Devem gotar de sofrer e ver a bandidada comendo solta.
Pessoas como Wanderby são dificeis de encontrar a qualquer hora.
A polícia devia ter orgulho de ter um membro desse valor em sua corporação.
A sua má sorte, foi ter começado a carreira no Rio, pois em outro estado com certeza teria recebido o valor merecido.
A cúpula da polícia carioca, pelo que vejo é recheada de corruptos, claro que não são todos, mas a maioria vence. Infelizmente.
Gde abraço!

Anônimo disse...

caro maj wanderby. do jeito que o sr esta agindo, faz a alegria de seus inimigos. troque as armas, guarde o sabre e empunhe um florete.

ass.: hyppolite leon denizard rivail

Anônimo disse...

Major Wanderby admiro profundamente o Sr. pois sei que o Sr. é um homem integro, correto em suas atitudes, fico profundamente triste com as injustiças que o Sr. vem sofrendo mas continuo a acreditar no Sr. um idealista nato um exemplo de Oficial, deixo aqui toda a minha solidariedade ao Sr. e espero que essa batalha contra o mal possa ser vencida, espero que o sr. não desanime embora em alguns momentos você possa se sentir só acredite que muitos acreditam e apóiam o Sr. mesmo que no anonimato pois vemos no Sr. esperança e o principal um líder nato!!! grande abraço TENENTE PM QOC

Anônimo disse...

Bonequinho assassino, torça para ficar nisso, pois vc será expulso pelo Cmt Geral.
Primeiro serão presos os coronéis full para não dizerem que o Comandante teme coroneis, depois seu "chefe exemplo" do 2° CPA vai ser exeonerado, para depois vc ser preso e expulso.

Quanto ao seu medo de retaliações familiares, o comando não é leviano como vc nas suas afirmações generalistas.

ANARQUISTA, RECALCADO!!!

Anônimo disse...

QUESTÃO DE SEGURANÇA?


A secretaria estadual de fazenda do Estado do Rio não apresenta em seu site as despesas com publicidade. Alega que é questão de "segurança". Em 2008 empenharam mais de 90 milhões de reais e pagaram cerca de 85 milhões de reais. Questão de segurança? De quem?

ex prefeito César Maia

Anônimo disse...

Anonimo das 6:38 PM

És frouxo.

Sem honra.

Caso sejas um MILITAR, que vergonhosa declaração dás, ó A-NÔ-NI-MO. Não tens Doutrina ?

Comando ? QUE COMANDO ?

Brincadeira tem hora.

Anônimo !. Mostra a tua cara, anônimo. Assina teu nome.

Anônimo disse...

"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, dos corruptos, dos
desonestos, dos sem caráter, dos sem ética. O que mais preocupa é o
SILÊNCIO DOS BONS."

Anônimo disse...

Resolvi escrever esse texto após os últimos fatos, mormente após a prisão de um Coronel de Polícia. Não, não se trata dos coronéis, no plural, que fraudaram licitações e ficaram 5 dias presos provisoriamente na Bahia. Não, não é o caso de estar lembrando do coronel comandante do 14º BPM à época da devassa da Polícia Federal por aquelas bandas, ou seria aqueles bandos? Refiro-me à prisão do Coronel, esse sim com letra maiúscula, Menezes. Não o conheço, mas mesmo os que não o conhecem sabem de seu caráter.
Não tenho anos de Polícia como o Coronel Menezes possui, mas sou capaz de afirmar que esses são os piores tempos de PMERJ. Lembro-me de um movimento no topo da Corporação por melhorias na condição do policial. Tratava-se de melhoria salarial, do retorno dos policiais que estavam "terceirizados" em diversos órgãos, no aumento do efetivo, no respeito ao limite da carga horária, entre outras. A carta dos Barbonos que tratava do resgate da cidadania do PM trazia reais necessidades de mudança na vida do policial militar. Ouço muitas, mas muitas pessoas, falarem que o policial ganha pouco, que o policial mora em comunidades, que o policial tem que esconder a identidade quando sai de casa, que tem que secar a roupa atrás da geladeira... o próprio Secretário de Segurança mingua quando se refere ao salário do policial militar do Rio, mas, em cargo político, diz que o Pronasci ajuda, que as gratificações de quinhentos reais ajudam etc.
O que foi que mudou? Quem brigava por melhorias foi prontamente retirado dos seus cargos. A lei foi mudada para que os Coronéis fossem aposentados mais cedo. Outros coronéis estão em cargos-chave recebendo salários com aumento de 223%. Estes, não brigaram mais pelas mudanças necessárias no contexto de "largada à própria sorte" em que vive a Polícia como um todo. A tropa, que tinha líderes nessa busca de melhorias, viu esses líderes sendo decapitados e, claro, se o líder é decapitado o que eu, subordinado vou fazer? A tropa se recolheu à sua "insignificância". Alguns Comandantes que colocaram o cargo à disposição voltaram atrás. O Maj Wanderby recentemente foi retirado do quadro de acesso. A tropa não vai nunca pleitear melhora se vemos um Coronel sendo preso e um Major sendo perseguido. Eu mesmo, tenho que me valer do anonimato para escrever o texto. Um assassino confesso é capaz de responder em liberdade ao passo que o Coronel Menezes não pôde se valer de um princípio constitucional, afinal não lembro de ele ter ofendido ninguém no texto que escreveu.
Resta-me interromper meus estudos, empenhado que estou em fazer o que muitos têm feito: estudar para sair da PM. As pessoas que podiam lutar por uma melhoria na PMERJ falharam. A culpa talvez não seja delas, pois em um estado de coisas onde a inversão de valores é tamanha, haverá sempre alguém disposto a trair, a melhorar o seu sem se preocupar com os outros. A enquete do Globo sobre se a Polícia tem o que comemorar nos seus 200 anos, pergunte para cada policial que você conheça! Não quero ser paradoxal afirmando estar estudando para sair da PM e dizendo que as pessoas muitas vezes só "pensam no próprio umbigo", mas tive esperança de ver uma polícia melhor quando em quase 200 anos de história houve uma grande mobilização para melhorias. Daí veio a decepção com tudo o que aconteceu. Todos sabem que alguns coronéis estão ganhando bem mais, que houve gente nas reuniões que pareciam estar "infiltrados", pois hoje fazem parte da cúpula da Corporação, todos sabem que o Comadante Geral nunca comandou uma Unidade e hoje comanda a PMERJ, todos sabem que o policial, quando honesto, faz bico para complementar o seu salário e quando não, está envolvido nas diversas atividades ilícitas, citando tão-somente as milícias como exemplo.
Desisti da polícia porque mereço coisa melhor e, infelizmente, não serei capaz de mudá-la mesmo com companheiros de farda (a exemplo do fracasso dos Barbonos e dos 40 da Evaristo), quiçá sozinho.

Anônimo disse...

Brasília, 10 de Março de 2009 - 15:48 Central do Cidadão | Mapa do Portal Favoritos: O ministro Eros Grau determinou o arquivamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 3954, ajuizada no Supremo Tribunal Federal (STF) pela Associação dos Delegados de Polícia do Brasil (Adepol) contra o parágrafo único do artigo 68 da Lei Complementar (LC) 339/2006, do estado de Santa Catarina. O dispositivo refere-se à divisão e organização judiciárias daquele estado, permitindo a policiais militares lavrarem Termos Circunstanciados.

A entidade alegava que esse dispositivo, em conjunto com o Provimento 04/99, da Corregedoria Geral da Justiça de Santa Catarina (CGJ/SC), repercutiria direta e negativamente nas atividades pertinentes a cargo da Polícia Civil naquele estado.

Alegações

A Adepol sustentava que, ao autorizar os policiais militares a lavrarem termos circunstanciados, os dispositivos questionados violariam os parágrafos 4º e 5º do artigo 144 da Constituição Federal. Segundo a entidade, o procedimento processual sumaríssimo, denominado termo circunstanciado, seria incompatível com as atribuições a serem desempenhadas pelos integrantes da Polícia Militar. Além disso, tal fato prejudicaria a eficiência das atividades exclusivas da Polícia Judiciária e a apuração de infrações penais.

Por fim, a associação alegava a existência de vício formal, observando que o artigo 24, XI, da Constituição Federal estabelece competência concorrente entre a União, estados e do Distrito Federal para legislar sobre procedimentos em matéria processual. Nesse caso, em seu entender, os preceitos de caráter geral estariam fixados pela União, competindo aos estados adequarem estas leis às suas peculiaridades.

Diante desses argumentos, a Adepol pedia a declaração de inconstitucionalidade do parágrafo único do artigo 68 da LC 339/2006, de Santa Catarina, e do provimento 04/99 da CGJ/SC.

Arquivamento

Ao decidir pelo arquivamento da ADI, o ministro Eros Grau argumentou que o Provimento nº 04/99, da CGJ/SC, “tem nítido caráter regulamentar”. Segundo o ministro, há nele expressa referência ao artigo 69 da Lei nº 9.099/95 e ao parágrafo único do artigo 4º do Código de Processo Penal. Assim, eventuais excessos nele contidos configurariam ilegalidade, situando-se no plano infraconstitucional.

Quanto ao parágrafo único do artigo 68 da Lei estadual Complementar nº 339/200-6, o ministro decidiu com base no parecer apresentado do procurador-geral da República pelo arquivamento da ação, por falta de interesse de agir da Adepol. O procurador-geral argumentou que “existe norma nacional de conteúdo idêntico ao do dispositivo estadual”. É que o parágrafo único do artigo 4º do Código de Processo Penal, recepcionado pela Constituição Federal, também dispõe que a competência da polícia judiciária para apurar infrações penais não exclui a de autoridades administrativas.

“O preceito limita-se a reproduzir o disposto no parágrafo único do artigo 4º do CPP”, observou o ministro Eros Grau, recordando decisão do STF na ADI 2618, relatada pelo ministro Carlos Velloso (aposentado), que resultou em decisão análoga.

FK/LF


Processos relacionados
ADI 3954






Praça dos Três Poderes - Brasília - DF - CEP 70175-900 Telefone: 55.61.3217.3000 | Telefones Úteis | STF Push | Canais RSS

Fabíola disse...

Sabe Wanderby... tenho que concordar com seu amigo Allan Kardec... vc está agindo como querem os inimigos.
Troque as armas...