10/03/09

Prostitutas

O SR. FLÁVIO BOLSONARO – Nobre Sr. Presidente Caetano Amado, estive hoje no Município de Niterói, visitando um policial militar que se encontra detido no 4º Comando de Policiamento de Área, o 4º CPA, porque, pasmem, Deputados, escreveu um artigo na internet fazendo um elo entre as atuais chamadas milícias e problemas básicos da Corporação Policial Militar. É uma bola de neve, que começa com os baixos salários, passa pelo descaso das autoridades da pasta de segurança pública ao longo dos governos e hoje chega a esse quadro lamentável, em que, infelizmente, alguns, uma minoria de profissionais da segurança pública estão envolvidos em alguns crimes, principalmente em locais mais carentes.
Refiro-me ao Coronel da PM Menezes, que já passou por vários comandos sem ter em sua ficha disciplinar nenhuma, nenhuma punição, em quase 35 anos de serviços prestados à sociedade fluminense – sua turma completa 35 anos agora, nessa sexta-feira, mas ele não vai ter como comemorar, porque está preso, porque botou uma opinião sua sobre determinado assunto, sem ofensas pessoais a ninguém, na internet.
Quero chamar atenção a esse caso, porque tenho batido na tecla da revisão do Regulamento Disciplinar da Polícia Militar. Já que estamos numa semana em homenagem a todas as mulheres, há algumas atrocidades no RDPM aplicadas, por exemplo, às mulheres. V. Exa. sabia que, para uma policial militar pintar o cabelo, tem que pedir autorização para seu comandante? V. Exa. sabia que, se uma policial militar pintar as unhas de uma cor mais extravagante, vermelho, por exemplo, ela pode ser punida com detenção? Isso está escrito no Regulamento Disciplinar da Polícia Militar.
No caso específico do Coronel Menezes, é bastante clara a perseguição, por ele ter defendido, na gestão passada do ex-Comandante da Polícia Militar, Coronel Ubiratan, melhorias para a categoria. Não venho aqui fazer defesa de grupo A, B ou C dentro da Corporação, mas é importante frisar que, pelo menos, foi um conjunto de oficiais – coisa rara, se não inédita dentro da Polícia Militar – que estavam brigando por melhorias para a categoria. E o nosso Secretário de Segurança José Mariano Beltrame - repito e já falei isso publicamente várias vezes - é um homem honrado, um homem sério, um homem íntegro, mas que possui ao seu redor pessoas que se fazem de madres, e no fundo são prostitutas, Presidente. É muito fácil você prender um policial, você punir principalmente um praça da PM. As pessoas vestem aí uma máscara de idoneidade e quando olhamos para a sua história, para a sua trajetória dentro da Corporação, não há muita coisa do que se orgulhar. Temos, por exemplo, o Coronel Pita, Comandante-Geral da PM; em qualquer instituição militar deste País, um oficial, que é repetente da Academia, nem ao posto máximo da Corporação ele chega, no entanto, é o caso do Coronel Pita, e ele é o Comandante-Geral da PM.
Outra situação: nós temos aí o Coronel Davi, que é o segundo homem dentro da Corporação, que faz força para prender por quatro dias um Coronel por colocar a sua opinião na internet. E, no entanto, Deputado Coronel Jairo, ele mora há mais de cinco anos numa casa que é paga pela Corporação, que é fornecida pela PM, e recebe no seu contracheque R$ 949,00 de auxílio-moradia.
Então, qual moral têm essas pessoas para virem e apontar o dedo para a cara de qualquer membro da Polícia Militar? E o nosso Secretário de Segurança tem que atentar para esses detalhes. Apesar de conhecê-lo há pouco tempo, sou testemunha das suas posições firmes e das diversas tentativas que tem feito, inclusive junto ao Governador do Estado, para tentar valorizar a categoria. Mas ele também tem limitações.
Então, queria terminar este discurso pedindo ao Governador ou ao Secretário, primeiro: que reveja essa punição que foi dada ao Coronel Menezes. A democracia também tem que entrar nos quartéis. A democracia também tem que valer para os militares.
E o segundo pedido que faço ao Secretário de Segurança é que, de fato, dê motivos para a Corporação comemorar os seus 200 anos, que é um marco histórico e precisa, sim, ser comemorada. Mas, infelizmente, a tropa não está em festa. E o que a tropa quer é um novo regulamento disciplinar. O que a tropa quer é um novo quadro de disposição de efetivo. O que a tropa quer são salários dignos. E o que a tropa quer, Presidente Deputado Caetano Amado, é um Comandante-Geral à altura da responsabilidade e da importância da Polícia Militar, e não mais pessoas que estão hoje na cúpula da Corporação e que estão degradando a Segurança Pública do nosso Estado e desmotivando completamente a tropa, porque não são homens de coragem, de buscarem melhorias junto ao Governo do Estado. Não são homens de coragem, munidos no cargo de coronéis da PM, que possam fazer valer essas estrelas que possuem nos ombros e exigir que a tropa tenha o mínimo de dignidade, porque são chefes de família, são seres humanos que têm necessidades, e quando olham para cima e veem que esse é o currículo de quem os comanda, infelizmente, Sr. Presidente, fica mais difícil ainda exigirmos uma conduta compatível com aquela que é aguardada pela nossa população.
Muito obrigado.

10 comentários:

Anônimo disse...

Amém!

Anônimo disse...

Muito digno o comentário!

Anônimo disse...

bravo! bravíssimo!!!
o deputado Flávio Bolsonaro merece todo nosso respeito.

Anônimo disse...

Bravo Deputado !.

O NOSSO berçário - o meu é o mesmo de Flavio - TEM HINO !.

Nascemos em Unidade MILITAR de Ensino e Formação. Nacional.

VERDE-OLIVA.

No mesmo BERÇO que a nossa amada BRIOSA.

Não posso falar pelo Jovem Deputado, nem é necessário : as Forças Armadas BRASILEIRAS reverenciam os Guerreiros desta PÁTRIA, Bravos Guerreiros brasileiros, assim também nós, seus filhos, vossos irmãos, Guerreiros.

Belíssimo discurso.

Vivas à PMERJ, vivas aos Policiais Militares do Rio de Janeiro.

Se liga, seo Beltrame. Estás sobrando : ou és cúmplice, conivente, traidor. Escolha pessoal.

O que é sergio cabral ... ?!, tão desinteressado da vida de seu público. Não saberia, cabral, que pode ser considerado apenas um ASSASSINO, da população, de cada Policial morto durante seu mandato, eleito que foi por VÍTIMAS potenciais ou de fato ?

Não sabe de nada ?

SE É 15, TÔ FORA. Estaremos TODOS fora.

Aguarde, cabral. Aguarde.

Anônimo disse...

Polícia de SP cobra até taxa de PM que deixa farda no quartel


SÃO PAULO - O policial militar da polícia paulista paga até para deixar suas roupas no armário do quartel ou usar o alojamento. A taxa, cobrada em nome do Fundo Especial da Polícia Militar (Fepom), é descontada diretamente no contra-cheque e o valor varia conforme a patente.

Um soldado com 12 anos de trabalho, por exemplo, precisa desembolsar R$ 2,05 por mês para deixar sua roupa no armário. Já o oficial que dorme no batalhão paga a quantia de R$ 11, e o PM R$ 3.

Esta não é a única taxa cobrada da taxa. Para que a família tenha assistência médica, a tropa paga 2% do salário ao Hospital Cruz Azul, em São Paulo. Porém, o desconto no salário ocorre mesmo que o policial não tenha

dependentes ou more fora da capital, onde fica o hospital. Cerca de 66% dos PMs vivem no interior.

Em nota, a PM diz que a cobrança do Fundo Especial da Polícia Militar é prevista em lei. Os descontos, segundo a nota, são facultativos a quem não utiliza armários ou alojamentos e que o PM pode solicitar a exclusão da taxa. Argumenta inda que a arrecadação é revertida em benefício do policial e no seu "bem-estar no ambiente de trabalho".

Segundo entidades representativas da categoria, por medo de represálias, ninguém pede exclusão da taxa, nem mesmo os que servem em quartéis onde não há armários, alojamento ou até chuveiro.

Levantamento feito por entidades que representam os policiais mostram que 60 mil dos 94 mil policiais militares do estado sofrem problemas de estresse, distúrbios psicológicos ou envolvimento com álcool ou droga.

O excesso de trabalho é justificado poeque, na maioria das vezes, os PMs recorrem aos "bicos" - serviços extras de vigilância particular fora do horário de trabalho.

Com isso, dormem pouco, ficam dias longe da família, se alimentam mal e vão para as ruas estressados. Segundo o deputado, a situação do oficial é ainda pior que a do praça, que ganha R$ 1.700.

Apesar dos problemas de saúde, o atendimento psiquiátrico é difícil. Segundo o deputado estadual e major Olímpio Gomes, o Centro de Assistência Social, Religioso e Jurídico (Casrj) da PM conta com apenas oito psicólogos para atender 94 mil policiais.

- Quando o policial precisa de tratamento, tem que recorrer ao plano de saúde ou se submeter às filas do SUS - comenta.

Portador de transtorno bipolar, o soldado Antonio (nome fictício), há 12 anos na PM, só conseguiu a cura no Hospital das Clínicas.

- Na PM, só me davam remédios e me mandavam para casa - conta.

Ele afirma que o psicólogo que atende o policial transtornado é um oficial.

- O olhar dele será sempre do superior para o comandado. Como posso, então, contar problemas íntimos se corro o risco de ser preso na mesma hora?

O centenário e imponente Hospital da Polícia Militar (HPM), no Barro Branco, Zona Norte da capital, sofre com a falta de funcionários. Faltam médicos, enfermeiros, auxiliares, assistentes sociais, fonoaudiólogos e o serviço de farmácia fechou.

O setor de psiquiatria foi desativado. Também não há ginecologista nem obstetra, mesmo com 8 mil mulheres na corporação.

- O HPM é o único hospital do mundo sem enfermeiros. Os médicos foram saindo por falta de perspectivas na carreira, e os poucos especialistas que restam fazem plantão para atender a demanda - diz o tenente Francisco Jesus da Paes, do Clube dos Oficiais da Reserva.

O HPM atende apenas os policiais militares.

Em nota, o Comando da PM diz que sua política de saúde é uma das melhores do funcionalismo público e semelhante à do SUS, integrando ações curativas e preventivas. A PM afirma que, no momento, realiza concurso para completar o quadro de profissionais de saúde, em várias especialidades, e na área de saúde bucal. A PM diz que tem investido fortemente na estrutura de saúde, criando policlínicas para prevenção de moléstias.

JORNAL O GLOBO

Anônimo disse...

Major Wanderby, acredito que a vitória sobre os inimigos estão com os dias contados!

Comissão de Direitos Humanos vai prestar solidariedade a coronel

Pela primeira vez, a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa vai visitar um policial preso por trangressão disciplinar. O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Freixo (PSOL), acaba de confirmar a este blog que vai amanhã à tarde prestar solidariedade ao coronel da PM Ronaldo Antonio de Menezes, visitando-o no cárcere de um quartel da PM em Niterói. Menezes está preso desde ontem, e ficará até sábado, acusado de transgressão disciplinar porque manifestou opinião sobre a deterioração da segurança pública em artigo num blog de outro oficial da PM. Freixo não teve tempo de reunir a Comissão, mas vai como parlamentar e está convidando outros deputados que integram o grupo. Um deles é o deputado Flávio Bolsonaro, que foi o primeiro a manifestar solidariedade ao coronel da PM.

- Essa prisão do coronel é um ato de censura e absolutamente deslocado da história. É um desestímulo àqueles que dentro da polícia estão empenhados em oferecer melhor serviço e querem pensar e debater as questões de interesse público. Vamos prestar solidariedade ao oficial também porque a defesa dos direitos humanos é ampla. Direitos humanos querem o cumprimento da lei e uma sociedade mais justa. Consideramos que o coronel Menezes, a quem não conheço pessoalmente mas tenho informações de que tem uma conduta correta, foi vítima de uma injustiça - afrmou o deputado Marcelo Freixo.

O deputado me disse que vai comunicar ao comando do quartel a ida dele e de outras pessoas solidárias ao coronel, que vão sair da Assembleia às 13h de amanhã.

Bom seria que os cidadãos de bem se juntassem a esse grupo e fizessem uma vigília na porta do quartel, pedindo a liberdade do coronel que falou a verdade.

ferreirão disse...

ESSA CORJA DE TRAIDORES VENDIDOS( 223% ) DEVERIAM SE OCUPAREM DE OUTRAS TAREFAS AO INVÉS DE FICAREM FUXICANDO ORKUTS, COMUNIDADES, BLOGS E ETC... É POR ISSO QUE O JOGO DO BICHO ROLA SOLTO, MAQUININHAS CONTINUAM SENDO USADOS NOS BARES E A BANDIDAGEM DEITANDO E ROLANDO PELAS RUAS DO RIO.

Anônimo disse...

A ÚNICA PESSOA QUE FALOU SOBRE O CASO DO CEL MENEZES FOI O BELTRAME. PITTA ESTÁ CALADO, AGUARDANDO ORDENS DO GOVERNADOR.

Anônimo disse...

LENDO O BLOG REPORTER DE CRIME ACHEI A FRASE ABAIXO:


Quando mentem, recebem medalhas.
Quando falam a verdade, são presos.


MAJOR, MUITA ÁGUA AINDA VAI ROLAR ATÉ AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES!!!

Anônimo disse...

Lembremos dos fatos:

1 - Paulo Ramos, então jovem oficial, se rebelou e com isso se elegeu deputado. Assim que entrou na assembléia, o então governador se rebelou o convidou para ser o líder da situação e ele (Paulo Ramos) aceitou. Enfim, falar é fácil fazer é que é difícil...

2 - Flávio Bonsonaro: A quanto tempo ele é deputado? O que ele fez na prática? Nada!!!
Quero ver ele resolver o problema da PEC300.

Caros acordem!!! Sempre nos últimos 2 anos de governo é a mesma história. DEMAGOGIA!!!