25/10/08

A ESPERANÇA VOLTOU!


3 comentários:

Mario disse...

QUANTOS REALMENTE SOMOS ?!?

O R.G. já está na casa dos 86.000 mas você sabe quantos realmente somos ?!? Há estatísticas que dizem que somos 40.000, será mesmo ?!?
Se tirarmos todos os adidos, não sei quantos sobrariam.
Isto é um absurdo e não acredito que aconteça em outros Estados da União. Aquio no Rio de Janeiro, tem um batalhão na Prefeitura, é isto mesmo, na Prefeitura. São centenas de policiais adidos, mais por que ?!? Eu também não sei responder. Se tirarmos os Policiais Militares adidos e/ou cedidos a PCERJ, SEAP, DETRAN, ALERJ, JUDICIÁRIO, CAMÂRA DE VEREADORES, etc, etc, etc ... não sobra muita coisa não. Junte-se a estes, os do expediente e os Oficiais que não exercem um patrulhamento ostensivo, salvo quando estão de supervisão, fica pior ainda. São milhares os adidos e/ou cedidos a outros órgãos. Juntando-se a velocidade em que estamos sendo mortos, expulsos, presos, reformas e baixas, estamos ficando com menos efetivo ainda.

E o que isto vem ocasionando ?!? Uma escala do tempo da escravatura/ditadura, em desacordo com a lei, que é ignorada pelo Estado. Sem falar nos constantes "serviços extras" a que somos submetidos, em que trabalhamos nas parcas folgas e de graça.

SOLUÇÃO 1:

O regresso imediato de todos os policiais militares adidos e/ou cedidos a outros órgãos, para pelo menos, aliviar a escala e fazer-se cumprir a lei quanto a carga horária.

SOLUÇÃO 2:

Colocar no expediente, somente aqueles que realmente são IFP/SINA, mediante uma reavaliação de uma junta médica.

SOLUÇÃO 3:

Criação da "GRATIFICAÇÃO POR ATIVIDADE OSTENSIVA" como um abono, a fim de incentivar o policial na ostensividade e também uma forma de compensar aqueles que realmente trabalham na atividade fim policial. Esta gratificação só deverá ser paga aos aptos que trabalham na ostensividade. Este valor poderia ficar na casa dos R$ 500,00 (Quinhentos reais).

Acredito que assim, o fardo a ser carregado por nós Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro, fique um pouco mais leve, ao ter mais companheiros para dividir este peso.

FAÇAM UMA MATÉRIA COM ESTE ASSUNTO. VAMOS JUNTOS TENTAR CONTABILIZAR QUANTOS REALMENTE SOMOS E TENTAR REVERTER ESTA SITUAÇÃO JUNTO AO GOVERNADOR !!!

Anônimo disse...

VAMOS VOTAR APÓS AS 15 HORAS!

FRAUDE NAS MESAS, DAS 15H ÀS 17H
1. Nas regiões menos expostas da cidade, sessões eleitorais onde os mesários são colocados por políticos, vale tudo depois das 15h. Nesses locais, mesários começam a votar pelos ausentes. Um assina, outro abre a urna eletrônica e outro vota. A assinatura é feita no meio da linha. Se chega o eleitor, ele assina na sua linha, meio apertado com a assinatura de cima e é aberta a urna de outro nome e assim se fecha.

2. Mas os partidos, provavelmente o DEM e o PSDB, pedirão ao TRE que nos dias posteriores faça o cruzamento dos que "justificaram o voto nos Correios”, com os que votaram. Se alguém justificou a ausência e apareceu seu nome tendo votado, a urna inteira terá que ser anulada.

3. Aliás, essa deveria passar a ser uma prática em todas as eleições no Brasil inteiro: um programa iria cruzando os que justificam o voto com os que votaram, para identificar fraudes. Lembre-se que na eleição anterior no Rio, 6% justificaram a ausência, ou uns 250 mil eleitores.

4. Os "brancos e nulos" transferidos pela "Proconsult" agora são os "ausentes" que são transferidos. Todo cuidado é pouco! E não custa nada colocar fiscais em todas as sessões. Não custa nada prevenir.

Anônimo disse...

Foi o encontro do candidato-marketing X candidato-emoção.
O histriônico versus o sincero.
O que promete fazer X o que propõe alternativas.
O "novo" com "velha roupagem" X o "velho" com idéias claras e avançadas.

Vai dar GABEIRA 43 com certeza!